Após a aquisição, o Twitter é avaliado em um terço do valor que Elon Musk pagou em outubro do ano passado. Isso porque o fundo da gestora de ativos Fidelity reduziu o valor de sua participação pela terceira vez desde a aquisição.

  • A participação do Fidelity Blue Chip Growth Fund na rede social foi avaliada em US$6,6 milhões em 28 de abril, um valor bastante inferior aos US$19,7 milhões quando foi comprada pelo bilionário sul-africano.
  • A primeira redução aconteceu logo em novembro, quando a Fidelity diminui sua participação para US$8,6 milhões;
  • Em janeiro o valor caiu novamente, sendo avaliada em US$7,8 milhões.

Com a avaliação de fundos da Fidelity, a avaliação geral do Twitter corresponde a cerca de US$15 bilhões, o equivalente a cerca de um terço dos US$44 bilhões pagos por Elon Musk ao adquirir a rede social.

Leia mais:

Demissões e perda de anunciantes

Desde a chegada de Musk, o Twitter enfrentou uma série de problemas e muitas mudanças. Começando pela demissão em massa de executivos e funcionários de diversos setores da empresa.

publicidade

Para se ter ideia, no final de 2021, o Twitter contava com cerca de 7.500 funcionários. Após a compra, o número de funcionários está em cerca de 1.500, conforme relatou Musk.

twitter
(Imagem: Captura de Tela/Twitter)

Em uma das primeiras reuniões com funcionários para esclarecer sobre a visão de futura da empresa, o bilion ário não descartou a possibilidade de falência da rede social.

Após as demissões, a rede social perdeu cerca de 625 dos 1.000 principais anunciantes do Twitter, conforme revelou levantamento da Pathmatics.

Em abril, Musk disse que a rede social caminhava para um “ponto de equilíbrio”, com expectativa de fluxo de caixa positivo para os próximos meses.

Queda de publicações dos usuários mais ativos da plataforma

Recentemente um relatório da Pew Research revelou que os usuários estão postando menos desde a compra do Twitter por Musk.

O levantamento mostra que os usuários mais ativos antes da compra da rede social, que representam cerca de 20% do volume de tweets, fizeram menos publicações sob comando do bilionário.

Esse grupo de usuários mais ativos foi responsável por produzir cerca de 98% de todas as publicações no período estudado. A média de publicações do grupo caiu 25% após a compra do Twitter.

Nova CEO assume o Twitter

Cumprindo a promessa de encontrar uma nova liderança para o Twitter, Elon Musk deixou o cargo de CEO no início do mês e nomeou Linda Yaccarino, ex-chefe de publicidade da NBC Universal, como nova executiva-chefe da empresa.

O bilionário explicou que Yacarrino focará em trabalhos comerciais enquanto ele focará no design de produtos e novas tecnologias do Twitter.

Com informações de Wall Street Journal e Bloomberg.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!