O Vision Pro, anunciado pela Apple na segunda-feira (5), só chega às lojas dos EUA no começo do ano que vem, mas alguns jornalistas tiveram acesso ao dispositivo durante a WWDC 2023. Confira abaixo quais foram as primeiras impressões de quem testou o aparelho, e saiba mais do que podemos esperar dos óculos de realidade mista.

A Apple classifica o Vision Pro como um dispositivo de “computação espacial”, no sentido de aproveitar todo o espaço ao redor do usuário para exibir informações, vídeos, e muito mais. Trata-se de um computador completo, equipado com o potente processador M2 da Apple em conjunto com um novo chip R1.

Leia mais:

Como é vestir o Vision Pro

Uma das principais preocupações de empresas que desenvolvem dispositivos como o Vision Pro está na questão do conforto: vestir um dispositivo grande, pesado e desengonçado na cabeça pode ser cansativo depois de um tempo, além do incômodo causado pelas fitas e elásticos necessários para manter o aparelho preso no lugar.

publicidade
Apple Vision Pro
Vision Pro, da Apple. Imagem: Divulgação

A Apple adotou algumas medidas para tornar o Vision Pro confortável, como, por exemplo, ao manter a bateria fora do dispositivo: a unidade externa precisa ser conectada via cabo aos óculos e, portanto, a pessoa vai precisar levá-la junto sempre que quiser se movimentar ao usar o aparelho.

“A alça traseira do Vision Pro me pareceu mais confortável do que a de qualquer dispositivo VR da Meta, mas o visor ainda fez um pouco de pressão contra meus olhos e ao redor do meu nariz assim que eu ajustei seguramente com o botão traseiro”, explicou Devindra Hardawar, do Engadget, que teve a oportunidade de testar o aparelho durante a WWDC.

“A unidade de testes contava com uma alça de velcro que vai por cima da sua cabeça, assim como no Meta Quest. Isso não é visível em nenhum dos materiais promocionais da Apple, mas a empresa me disse que o design modular dos óculos permite alças adicionais caso seja necessário”, continuou.

O incômodo inicial de Hardawar logo foi embora. “Eu praticamente esqueci desse pequeno desconforto assim que experienciei o Vision Pro em ação”, explicou. “Quando a tela acendeu, eu fui confrontado com a mesma sala de reunião que eu entrei inicialmente [os testes foram realizados em uma sala separada do evento, projetada especialmente para receber jornalistas], exceto que agora eu podia ver uma grade de ícones de apps flutuando na minha frente. Graças às câmeras frontais de alta resolução do dispositivo, eu tinha uma visão clara dos meus arredores, assim como podia ver os representantes da Apple que guiavam minha demonstração. Não foi uma representação perfeita da realidade, mas foi melhor do que em qualquer outro produto de VR que eu já testei”, continuou.

Apple Vision Pro
Vision Pro exibe interface gráfica na frente dos olhos do usuário. Imagem: Divulgação/Apple

“Testei o Vision Pro por cerca de 30 minutos, e minha experiência no geral foi positiva. O tecido é suave e arejado, e ele parecia bem confortável na minha cabeça”, explicou Chance Miller, do 9to5Mac.

Durante os testes, os representantes da Apple orientavam os participantes a ajustarem configurações de visão, especialmente para os que usam óculos de grau — a empresa deixou equipamentos para testes de visão separados para essas pessoas. Quando o Vision Pro for lançado, não será possível usá-lo junto com óculos de grau — será necessário uso de uma lente especial para o dispositivo.

Depois de vestir: a tela e usabilidade

“Na minha primeira interação, o visionOS [sistema operacional do dispositivo] mostrou a icônica mensagem ‘Olá’ da Apple flutuando no espaço. A partir daí, eu fui levado à Home View. A tela inicial é parecida com a visão colmeia do Apple Watch. Usei meus olhos para navegar pela grade de apps,” explicou Miller.

“A interface era surpreendentemente fluida. Olhar para ícones ou opções de interface faz eles aumentarem, ou muda o quão destacados eles aparecem. Tocar com meus dedos enquanto olho para algo faz um app abrir”, contou Scott Stein, na CNET.

Apple Vision Pro
Vision Pro, da Apple. Imagem: Divulgação

“Navegar envolve pincelar e puxar com meus dedos; novamente, bem fácil de fazer. Redimensionei janelas ao mover minhas mãos para lançar uma janela pela sala ou puxá-la para perto de mim. Abri múltiplos apps simultaneamente, incluindo Safari, Mensagens e Fotos. Era fácil navegar, mesmo que em alguns momentos meus olhos precisavam de uma concentração extra para conseguir fazer o que eu queria”, continuou.

Nilay Patel, do The Verge, ficou bastante impressionado com as telas: “4K para cada olho, com pixels com apenas 23 mícrons de tamanho. No curto tempo que testei, era perfeitamente possível ler textos no Safari, olhar para fotos ou assistir a filmes.”

O jornalista, no entanto, encontrou algumas pequenas imperfeições. “Eu vi umas margens verdes e roxas nas laterais das lentes, mas não posso dizer se foi por causa do processo rápido de ajustes ou a natureza da demonstração, ou algo completamente diferente. Precisaremos conferir quando ele for lançado,” concluiu.

Apesar de tudo funcionar muito bem nos testes, alguns jornalistas acreditam que usuários comuns podem ter dificuldades no começo. “Para a maior parte das pessoas, a curva de aprendizado vai ser o aspecto mais desafiador do Vision Pro. Imagino que os gestos vão se tornar naturais em algum momento, mas você vai precisar praticar até chegar lá. Suponho que o visionOS oferecerá um tutorial robusto ao usuário quando ele for lançado,” disse Miller, no 9to5Mac.

E aí: o Vision Pro vale a pena?

Com preço anunciado de US$ 3.500, o Vision Pro é bastante caro. Mas ele também quer ser um produto que ainda não existe, então pode ser que esse preço compense. Será? Nos testes rápidos feitos por jornalistas, a sensação que fica é de que sim, o Vision Pro impressiona, mas ele precisa de muito mais para justificar o alto valor cobrado e também para efetivamente se tornar um produto usado por milhões de pessoas ao redor do planeta.

Apple Vision Pro
Imagem: Divulgação/Apple

“2024 ainda está distante, e o headset da Apple custará um valor que a maioria das pessoas não consegue pagar. E eu não tenho ideia do quão funcional o dispositivo seria para um dia de trabalho. Mas a Apple demonstrou uma tela e uma interface muito melhores do que eu esperava. Se a Apple conseguiu desenvolver isso, e o Vision Pro encontrar maneiras de expandir suas capacidades de realidade mista, quem sabe o que mais será possível,” disse Stein, na CNET.

“Sei que a Apple tem uma lista grande de coisas que precisam ser refinadas até o lançamento do Vision Pro. Em partes, é por isso que ele foi anunciado na WWDC: para deixar desenvolvedores reagirem a ele, descobrir que tipo de apps eles podem desenvolver. Mas essa é a mesma promessa que ouvimos em todos os dispositivos VR da Meta e de outras empresas,” explicou Patel.

“A Apple pode superar todo mundo na indústria quando o assunto é hardware, especialmente quando o custo não é um problema. Mas mesmo a melhor demonstração de um visor que eu já participei ainda é apenas uma demonstração — se a comunidade de desenvolvedores da Apple conseguirá desenvolver apps para o Vision Pro, é algo que ainda precisamos esperar para descobrir”, concluiu.

Via Engadget, The Verge, CNET e 9to5Mac

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!