A aquisição da Activision Blizzard pela Microsoft pode ter encontrado mais um entrave: o Departamento de Justiça do Canadá concluiu que o negócio de US$ 69 bilhões pode prejudicar a competição em alguns aspectos dentro da indústria dos jogos.

A decisão, que foi revelada durante audiências feitas na Justiça dos EUA, não deve, no entanto, prejudicar o andamento do acordo. A Microsoft afirma que está trabalhando com órgãos antitruste para minimizar os riscos apontados pelos reguladores.

Leia mais:

“Nós recebemos um aviso do Escritório de Competição do Canadá de que eles continuariam monitorando nossa aquisição da Activision Blizzard após o período formal de espera para evitar que o acordo expire”, disse um representante da Microsoft.

publicidade

Aquisição está sendo debatida nos EUA

Anunciada no começo de 2022, a aquisição da editora de “Call of Duty” pela Microsoft tinha previsão de ser finalizada até 18 de julho, mas é improvável que isso ocorra já no próximo mês.

A FTC, agência reguladora dos EUA, tenta barrar o negócio. A revelação das preocupações dos órgãos reguladores do Canadá faz parte de um julgamento que está ocorrendo a pedido da FTC para avaliar os potenciais riscos que a aquisição pode causar ao ambiente de competitividade na indústria de games.

Call of Duty
Call of Duty é uma das principais franquias da Activision Blizzard. Imagem: Divulgação

Durante esta semana, advogados tanto da Microsoft quanto da FTC questionaram pessoas da indústria sobre os potenciais efeitos negativos da aprovação da aquisição. É esperado que, na semana que vem, uma decisão seja divulgada.

Reino Unido barrou compra da Activision; Microsoft recorre

A Autoridade de Competição e Mercados (CTA, na sigla em inglês) do Reino Unido bloqueou a compra da Activision Blizzard pela Microsoft, mas a gigante de tecnologia recorreu contra a decisão – uma nova decisão deve ser divulgada no fim de julho.

Via Reuters

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!