A próxima geração de AirPods, prevista para ser anunciada junto do iPhone 15, pode trazer muitos recursos focados na saúde do usuário. O rumor vem do quase sempre certo Mark Gurman em sua newsletter Power On, para a Bloomberg. Lá o analista aposta em sensor de temperatura e até servir como ajuda para dizer como anda a capacidade do usuário escutar coisas.

Leia mais:

O que você precisa saber:

  • A próxima geração de AirPods deve trazer um sensor de temperatura corporal e também ferramenta para medir a audição do usuário
  • Ela deve fazer isso com ajuda de sensores capazes de definir como você escuta tons e sons diferentes
  • A Apple está focada neste ponto de saúde, ao ponto de já ter contratado engenheiros para este trabalho e também para conseguir aprovação da FCC (Anvisa dos EUA)
  • Apple também deve baixar o preço dos AirPods de US$ 129 para US$ 99, ou criar uma versão com menos recursos para encaixar neste valor

Os AirPods são importantes para a Apple, ao nível não tão distante do sucesso do iPod no passado. Desde que foram lançados, sete anos atrás, o setor onde estão, TV e HomePod, viu sua receita quadruplicar e bateu em US$ 41 bilhões no ano passado – cerca de R$ 196 bilhões em conversão direta.

Bem, não dá pra ignorar esse caixa todo vindo de um produto que começou como piada pelo formato e que definiu como um fone de ouvido completamente sem fios precisa ser – marcas como Xiaomi, JBL, Sony e LG seguem exatamente o mesmo visual. Gurman também acha isso e aposta em novidades grandes para os AirPods em setembro deste ano.

publicidade
Imagem: Mohd Syis Zulkipli – Shutterstock

“A Apple está explorando os principais recursos para audição e temperatura do corpo, e planeja versões mais baratas e a transição para porta USB-C no conector [dos AirPods]. O produto também terá ligação direta com o Vision Pro do ano que vem.”

Novos AirPods poderão custar menos

Gurman explica que a parte de audição será utilizada para que os AirPods determinem quão boa ou ruim é a capacidade do usuário escutar diferentes tons e sons. A ideia é uma evolução do teste de isolamento acústico já utilizado pelos fones, podendo até ser um alerta para indicar um possível problema de saúde.

Este trabalho de saúde não é novidade para os AirPods, que contam com recursos de acessibilidade como aumento no volume dos microfones externos para escutar melhor as conversas. A diferença é que as funções não contam com aprovação da FCC, versão da Anvisa para os Estados Unidos. Este é um aceite importante para o acessório seguir em sua parte de saúde, o mesmo necessário para o ecocardiograma do Apple Watch.

O analista diz que o trabalho da Apple para dar estes recursos aos AirPods anda tão acelerado, ao ponto da empresa já ter contratado engenheiros especializados neste tipo de tecnologia e documentação do governo.

Tudo isso previsto por Gurman está focado nos AirPods de base e não na versão Pro, mas o analista acredita em uma variante mais barata dos fones. A ideia é de baixar o valor dos atuais US$ 129 para US$ 99 no mercado.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!