Os Valores a Receber, o famoso “dinheiro esquecido”, estão novamente na linha de frente dos comentários por conta de novo golpe que envolve o Brasil inteiro.

  • No golpe, os bandidos se passam por atendentes do Banco Central e de uma agência de consultas online alegando que a vítima detinha muito dinheiro para receber;
  • Porém, para a obtenção dos valores, os golpistas exigem pagamento de taxa, que vai direto para eles;
  • No fim, a vítima acaba não tendo nenhum valor a receber e, ainda por cima, fica no prejuízo.

Leia mais:

publicidade

Os golpes, porém, são antigos, havendo relatos desde o início do ano, ao menos. Eles são propagados por e-mail em links maliciosos que, ao serem clicados, levam a uma página da internet falsa.

Para dar ares de legitimidade ao golpe, os criminosos falsificam sites de notícias, trazendo longas explicações sobre suposta taxa de R$ 97 para ter direito aos valores. Essa “taxa” seria necessária para manter o sistema funcional. O valor a ser pago é por meio do PIX. Após a transferência, os malfeitores somem.

publicidade

Muito além do golpe via PIX

A Kaspersky alertou ainda que a fraude também permite o roubo de informações, pois, no ato do cometimento do crime, pedem CPF, data de nascimento e a chave PIX da vítima, podendo ser um número de celular.

De posse dessas informações, os criminosos podem realizar mais golpes, como roubo de perfis, clonagem de informações, falsidade ideológica, etc.

publicidade

Página falsa que induz a vítima a pagar a taxa inexistente (Imagem: Reprodução/Kaspersky)

Como visto acima, os golpistas utilizam o logo do governo federal e design que lembra o do Banco Central. Além disso, colocam comentários e nomes de pessoas fakes, para convencer que os supostos saques foram realizados.

publicidade

Como evitar cair nesse golpe

Em primeiro lugar, os valores a receber devem ser consultados apenas no site oficial.

É comum que os criminosos usem elementos visuais que imitam [sites e plataformas verdadeiros]. O objetivo é fazer as vítimas pensarem que se trata de site verdadeiro.

Fabio Assolini, diretor da equipe global de pesquisa e análise da Kaspersky para a América Latina

Assolini indica, contudo, que a presença de erros ortográficos são muito comuns nessas páginas falsas, servindo como bom indicativo de que aquilo não é real.

Por sua vez, o BC frisa que não entra, de modo algum, em contato direto com pessoas acerca do Valores a Receber, seja por e-mail, WhatsApp, SMS ou telefone, além de que não há custos para a liberação dos valores.

https://www.instagram.com/p/CryP9AkOY5R/?utm_source=ig_embed&ig_rid=589ca9d3-21b3-4214-84f3-18550d52cc73

Em resumo…

  • O BC não entra em contato sobre valores a receber;
  • Preste atenção em sites acessados e nas informações solicitadas;
  • Cheque atentamente cada palavra buscando erros ortográficos;
  • Perceba também a URL (endereço do site), se elas destoam das páginas oficiais das plataformas e do BC. Se for diferente, evite seguir adiante;
  • Tenha antivírus e outras soluções de segurança atualizados nos dispositivos utilizados, pois eles ajudam na identificação de e-mails e links fraudulentos;
  • Ao baixar apps e softwares, só utilize fontes oficiais, como lojas de aplicativos;
  • Sempre use senhas fortes – há apps que criam senhas fortes para você;
  • Procure utilizar autenticação de dois fatores em sites e plataformas que ofereçam esse serviço.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!