Nos últimos dias, o CEO da Disney, Bob Iger, teve muito a dizer. Na mesma entrevista em que revelou que a empresa está cogitando vender sua parte na TV, o executivo afirmou que os sindicatos de roteiristas e atores em Hollywood, que entraram em greve nesta quinta-feira (13), não estão sendo “realistas”.

Leia mais:

O que o CEO da Disney disse sobre a greve

Bob Iger falou sobre a greve dos roteiristas e a iminente paralisação dos atores em entrevista ao jornalista da CNBC David Faber, durante a conferência anual da Allen & Co. em Idaho, nesta quinta-feira (13).

É muito perturbador para mim. Falamos sobre forças disruptivas neste negócio e todos os desafios que estamos enfrentando, a recuperação da COVID que está em andamento, não está totalmente de volta. Este é o pior momento do mundo para aumentar essa interrupção.

Bob Iger

Iger completou que “entende o desejo” da organização por melhores condições de remuneração e que a Disney está tentando negociar com os sindicatos, mas que a expectativa dos roteiristas e atores “não é realista”.

publicidade
CEO da Disney, Bob Iger, durante entrevista, com logomarca da The Walt Disney Company ao fundo
Bob Iger diz que “lamenta muito” pela decisão dos sindicatos em entrar em greve (Imagem: Divulgação/Disney)

Greve dos atores de Hollywood

  • A greve dos atores já é iminente e um comunicado oficial deve ser emitido em breve.
  • Isso porque a última rodada de negociações entre o sindicato de atores de Hollywood (SAG-AFTRA) e os representantes dos grandes estúdios (AMPTP) terminou na madrugada desta quinta-feira (13) sem um acordo.
  • Em comunicado oficial, o SAG-AFTRA revelou que o comitê de negociações aprovou de forma unânime a recomendação de greve.
  • A decisão do sindicato dos atores se junta à dos roteiristas, que está paralisado desde 2 de maio.
  • O SAG-AFTRA não é paralisado desde 1980; os sindicatos não entram em greve ao mesmo tempo desde 1960.

Impactos na indústria de entretenimento

Os atores pedem por melhores compensações e segurança, ampliação dos planos de saúde, diminuição do contrato para séries de TV e outros direitos. Assim como os roteiristas, o setor também quer um regulamento sobre o uso da Inteligência Artificial, em especial ao que diz respeito ao uso de imagem.

Segundo o CEO da Disney, a paralisação, que dura até o sindicato entrar em acordo com os estúdios, terá um “efeito muito, muito prejudicial em todo o negócio”, tanto para os atores quanto para “pessoas que prestam serviços de apoio”.

Estrela com Hollywood escrito e roteiristas com placas de protesto ao fundo
Sindicato dos atores se junta aos roteiristas, em greve desde o início de maio (Imagem: Allstar)

Greve e as regras para os atores

  • O sindicato dos atores dos Estados Unidos já definiu as regras para a paralisação dos profissionais de Hollywood.
  • Os atores não poderão atuar nem promover nenhum título, seja ele um filme, série, entrevistas coletivas, pré-estreias, tapetes vermelhos e divulgações em eventos, como a San Diego Comic-Con, ou em redes sociais.
  • Por outro lado, os profissionais estão liberados para participar de convenções desde que não participem de painéis que promovam títulos recém lançados ou trabalhos futuros.
  • O Olhar Digital já explicou e você pode ver mais informações sobre o assunto aqui.

Com informações de Variety

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!