O Google Maps é um dos aplicativos mais tradicionais de GPS, utilizado pela grande maioria dos usuários. Apesar de sua eficiência em rastrear rotas, calcular o tempo de chegada e a velocidade de condução, o software possui algumas particularidades que comprometem o funcionamento do smartphone e prejudica a sua experiência de uso, mas isso pode ser corrigido com um pequeno truque. A seguir, entenda por que você deve evitar usar o Google Maps no celular sem uma configuração específica.

Leia mais:

Saiba como utilizar o Google Maps da melhor forma no seu celular

google maps em operação
Reprodução: henry perks/Unsplash

Muitos aplicativos foram projetados para funcionar em segundo plano e com o Google Maps isso não é diferente: o software precisa estar conectado diariamente à internet e à localização do indivíduo, o que permite o download de atualizações sobre mapas e percursos e a aplicação desses dados mediante o local onde o celular se encontra. Desta forma, o GPS do Google acaba drenando a bateria do smartphone, o que o faz descarregar muito mais rápido do que deveria.

Para corrigir este problema, é possível fazer o download dos mapas da região desejada e desabilitar o acesso do aplicativo à localização quando o software não estiver aberto. Esta configuração combate diretamente que o Google Maps acesse a internet com frequência –– em segundo plano ––, o que diminui a quantidade de vezes que a bateria é acessada, poupando carga. Outro motivo que justifica esse consumo excessivo é a necessidade de manter a tela ligada o tempo inteiro para exibir o mapa e as direções, e até se o alto-falante estiver ligado.

publicidade

Para modificar o acesso da localização do app, acesse o botão de “Configurações”, selecione a aba “Aplicativos”, procure por “Maps”, clique em “Permissões”, selecione os dados de localização e clique em “Permitir durante o uso do app”. Utilizar o Google Maps com esta configuração tornará a experiência da sua bateria significativamente melhor.

Configurar localização no Google Maps
Reprodução: Wagner Edwards/Olhar Digital

Vale lembrar que nem todos os aplicativos da mesma fabricante consomem a mesma quantidade de bateria. O Google Fotos e Google Drive, por exemplo, não necessitam de acesso constante à internet para fazer atualizações e downloads (como o Maps), por isso não devem consumar tanta carga. Os demais concorrentes, como Waze e Apple Maps, não são tão diferentes da versão do Google e detêm o mesmo risco de consumir muita bateria. Assim, sempre que optar por utilizar um aplicativo de GPS no celular, lembre-se de realizar a configuração que ensinamos anteriormente.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!