De acordo com o Índice de Realidade de Mobilidade Aérea Avançada (AAM Reality Index), da SMG Consulting, a Eve, subsidiária da Embraer, já acumula 2.850 pedidos pelos eVTOLs (Veículo Elétrico de Pouso e Decolagem Vertical), popularmente chamados de carros voadores. A demanda coloca a empresa brasileira no topo do ranking internacional, superando com folga outras companhias do setor. 

O que você precisa saber: 

Vídeo relacionado

  • A expectativa é de que os “carros voadores” da Embraer, como são conhecidos os eVTOLs, entrem em operação em 2026, mas o primeiro voo deve acontecer já em 2024; 
  • Eles serão fabricados em Taubaté, interior de São Paulo; 
  • Os pedidos já realizados para a fabricante representam mais de US$ 8 bilhões (aproximadamente R$ 38 bilhões) em vendas. 

Leia mais! 

Para fins de comparação, a Vertical Aerospace, empresa britânica, acumula 1.425 pedidos em andamento. A chinesa Ehang aparece em terceiro lugar, com 1.256 encomendas aos carros voadores. As estadunidenses Electra e Elroy Air performam com 1.200 e 920, respectivamente.

publicidade

A Lilium, da Alemanha, e a Ascendance Flight Technologies, da França, ocupam o sexto e sétimo lugar. A Heart Aerospace, da Suécia, segue em nono, e a Skydrive do Japão, em 14°.

Carro voador da Embraer
Imagem: Embraer/Divulgação

A lista da SMG também mostrou o ranking das empresas com ‘pedidos firmes’, ou seja, pedidos com a venda confirmada. Já nesta categoria, a Embraer aparece zerada: a Beta Technologies, dos Estados Unidos, lidera o quesito com 184 pedidos firmes. A chinesa Ehang aparece em segundo, com 169. 

publicidade

Táxi aéreo disponível em 2026  

A aeronave da Embraer deve iniciar as operações comerciais como um táxi aéreo em 2026. A companhia espera oferecer viagens de até 15 minutos, que deverão custar um preço semelhante ao de um táxi executivo. Inicialmente, as corridas estarão disponíveis em São Paulo e Rio de Janeiro. 

publicidade

A ideia é que essas aeronaves sirvam principalmente para diminuir ruídos e poluentes, aposentando os helicópteros a combustão. O serviço deve funcionar como o Uber, ou seja, com pagamento e reserva de corridas pelo celular do usuário. 

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!