Quem possui reserva de criptomoedas como o bitcoin já pode usar o ativo para comprar uma Ferrari. A novidade é fruto de uma parceria da montadora italiana com a processadora de pagamentos em cripto Bitpay e já está valendo nos EUA, segundo informações da Reuters

A Ferrari irá aceitar pagamentos em bitcoin, éter e USDC (ou USD Coin, uma criptomoeda que mantém paridade com o dólar) nos EUA. No início de 2024, o pagamento em moedas digitais também deve chegar na Europa, seguido por outras regiões.

Leia mais:

O que você precisa saber

  • Segundo a empresa, não haverá cobranças adicionais para quem pagar com criptografia.
  • A informação é do diretor comercial e de marketing da Ferrari, Enrico Galliera.
  • O BitPay converterá esses pagamentos para a moeda tradicional no momento da transação para evitar problemas de volatilidade. 
  • Galliera disse que a mudança auxiliará a empresa a alcançar “pessoas que não são necessariamente clientes, mas que podem comprar uma Ferrari”.
Ferrari F8 Tributo
Imagem: Mike Mareen/Shutterstock

No ano passado, a marca italiana anunciou um compromisso com operações mais sustentáveis, incluindo a redução da sua pegada ambiental. O plano é atingir a neutralidade de carbono até 2030.

publicidade

A adoção de criptomoedas parece ir contra isso. Mas a empresa insiste que a estratégia não atrapalha sua missão. Galliera citou como justificativa avanços na melhoria da pegada de carbono da mineração de criptomoedas, como o uso crescente de fontes de energia renováveis.

Ferrari elétrica

Enquanto a maioria das montadoras têm apostado nos veículos elétricos, a Ferrari continua ignorando a tendência (apesar de já apostar em supercarros híbridos). O primeiro modelo totalmente elétrico da empresa deve chegar apenas em meados de 2026.