Dois cientistas descobriram evidências de que a existência de um nono planeta no Sistema Solar pode indicar que nossas ideias sobre a gravidade estão incorretas.

De acordo com os autores, o cientista da Case Western Reverse, Harsh Mathur, e a professora de física do Hamilton College, Katherine Brown, se a gravidade for descrita por uma teoria conhecida como Dinâmica Newtoniana Modificada (MOND), a Via Láctea teria efeito nas órbitas de objetos nas bordas externas do Sistema Solar.

Leia mais:

A MOND propõe que a lei da gravidade de Isaac Newton está correta, mas apenas até certo ponto, e que, em altas velocidades de rotação, um tipo diferente de comportamento gravitacional assume. Isso se aplica a galáxias em rotação e a teoria é capaz de explicar observações em escalas galácticas.

publicidade
  • O estudo de Mathur e Brown relaciona a teoria MOND com a possibilidade de um nono planeta hipotético no Sistema Solar, conhecido como Planeta 9;
  • A evidência primária para esse planeta é o comportamento estranho de objetos na região chamada Cinturão de Kuiper, local externo ao Sistema Solar que abriga cometas e asteroides;
  • Em 2016, alguns objetos do Cinturão de Kuiper foram encontrados com órbitas e agrupamentos diferentes dos demais;
  • Especialistas acreditam que isso pode ser resultado da influência de um planeta desconhecido.

Os cientistas investigaram se as órbitas estranhas poderiam ser explicadas pela teoria MOND da gravidade. Eles descobriram que, ao longo de milhões de anos, as órbitas de alguns objetos do sistema solar externo podem ter sido arrastadas gravitacionalmente pela Via Láctea, em vez de estarem alinhadas com o restante do Sistema Solar.

A dupla argumenta que a conexão entre a MOND e o Planeta 9 pode parecer estranha, mas está relacionada com a evidência encontrada no Cinturão de Kuiper.

“Queríamos ver se os dados que apoiam a hipótese do Planeta Nove descartariam efetivamente a possibilidade da MOND”, disse Brown, segundo o Space.com.

Embora eles tenham encontrado resultados promissores, os cientistas alertam para a necessidade de cautela na interpretação dos dados, já que o conjunto de dados que embasam essa pesquisa é pequeno e outras possibilidades também podem ser corretas.

Independentemente do resultado, este trabalho destaca o potencial do sistema solar exterior para servir como um laboratório para testar a gravidade e estudar problemas fundamentais da física.

Katherine Brown, professora de física do Hamilton College