O mundo da tecnologia foi pego de surpresa quando o CEO da OpenAI, Sam Altman, foi demitido do comando da empresa no dia 17 deste mês. Apesar de ter sido convidado a integrar a equipe da Microsoft, menos de uma semana depois, voltou ao cargo que antes era seu. O “pai do ChatGPT” acaabou protagonizando o caso que abalou o mercado tecnológico.

Em entrevista ao The Verge, o executivo falou sobre seu retorno à desenvolvedora, da qual ele foi um dos fundadores, sobre mudanças no comando da OpenAI e como abordará a inteligência artificial (IA) de agora em diante.

Leia mais:

Sam Altman de volta à OpenAI

  • Questionado múltiplas vezes sobre quais foram os motivos de sua demissão, Altman se recusou a dar uma resposta. O executivo afirmou que deixará que a investigação independente da OpenAI sobre o caso corra sem sua interferência;
  • O CEO também não respondeu sobre os mal-entendidos com o então conselho da desenvolvedora, que foi destituído pouco antes da restituição de Altman no comando;
  • Questionado como foi voltar à companhia que ajudou a fundar, Altman disse que tudo aconteceu em um sábado de manhã e, quando recebeu a ligação com o convite para retornar, sentiu que aquilo era “uma espécie de desafio”. Ele disse estar “magoado e com raiva”;
  • No entanto, não demorou muito para que Sam Altman repensasse. Ele diz ter colocado sua força vital nisso [OpenAI] nos últimos quatro anos e meio em tempo integral e que estava fazendo progresso no campo da IA geral;
  • Segundo Altman, foi isso que o fez “superar o ego e as emoções e então pensar: ‘Sim, claro que quero fazer isso'”;
  • Ele ainda destacou como, durante todo o caso, a empresa não perdeu funcionários, elogiou o comprometimento da equipe e disse que deve demorar até um novo conselho se estruturar.

publicidade
Pessoa segurando tablet com cabeça não-humana em cima com sigla de inteligência artificial (IA) na testa
Imagem: Jirsak/Shutterstock

Progresso da IA geral

Para Sam Altman, o caso não interferiu nos produtos da empresa. O CEO afirmou que, durante a semana do acontecimento, a OpenAI não perdeu nenhum cliente.

No retorno ao comando, o “pai do ChatGPT” afirmou que o progresso da tecnologia está na capacidade de manter as pesquisas acontecendo e que espera que os frutos dos esforços em direção à IA geral cheguem rápido. Ele não comentou sobre o Q*, novo modelo de IA da OpenAI capaz de resolver problemas matemáticos, considerado avanço significativo nesse setor.

Ele ainda destacou que espera que isso aconteça de forma segura e benéfica e que a IA geral seria um dos motivos pelos quais “nos levantamos todos os dias e levantaremos todos os dias no futuro”.