A NASA divulgou recentemente uma imagem impressionante de Marte. A foto mostra a curvatura do Planeta Vermelho, uma vista comum se houvesse um astronauta vivendo na órbita marciana como existe na Terra, no entanto, esse não é o caso.

A imagem panorâmica do horizonte marciano levou cerca de três meses para ser planejada e executada, sendo feita a partir da composição de dez fotos tiradas pelo Thermal Emission Imaging System (THEMIS) a bordo do orbitador Mars Odyssey, lançado em 2001 pela NASA.

  • A foto foi tirada a cerca de 400 quilômetros de altitude e mostra a superfície marciana coberta por camadas de nuvens e poeira;
  • Esse tipo de captura é tão incomum que nenhuma outra espaçonave em órbita em Marte já teve essa visão;
  • Além de fantástica, a imagem também poderá ajudar cientistas a obter novas informações sobre a atmosfera marciana.

Por trás da foto

Obter essa imagem não foi nada fácil, os pesquisadores precisarão girar a Mars Odyssey até o horizonte e mantê-la assim enquanto ela realizava uma órbita inteira, algo que nunca havia sido realizado pela espaçonave.

Para obter essas imagens, tivemos que fazer algo com a espaçonave que nunca fizemos antes. Normalmente, nossa câmera fica voltada para baixo para mapeamento. No passado, experimentamos rodar a nave espacial para podermos tirar fotografias de algumas das luas de Marte… mas desta vez tivemos que fazer algo ainda mais extremo.

Laura Kerber, vice-cientista do projeto Odyssey, em vídeo publicado no YouTube

O planejamento para a obter a foto foi realizado por engenheiros do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da NASA e da Lockheed Martin Space, responsáveis pelas operações da missão. 

publicidade

A escolha de girar a espaçonave em 90 graus, ao invés de apenas mudar o ângulo da câmera, foi feita para garantir que os painéis solares continuassem sendo alimentados pela luz solar. No entanto, as antenas da espaçonave foram direcionadas para longe da Terra nesse momento, fazendo com que o contato com ela fosse perdido durante várias horas, até que as capturas fossem realizadas.

Leia mais:

Atmosfera de Marte

Mars Odyssey
Crédito: NASA

A imagem irá auxiliar os cientistas a compreender melhor a fina atmosfera marciana, como onde estão as camadas de nuvens e poeira em relação umas às outras, se formam apenas uma grande camada ou estão empilhadas umas sobre as outras.

Penso nisso como ver um corte transversal, um corte através da atmosfera. Há muitos detalhes que você não pode ver de cima, e é assim que a THEMIS normalmente faz essas medições.

Jeffrey Plaut, cientista do projeto Odyssey no JPL

A THEMIS utiliza sensores infravermelhos para mapear o gelo, areia, rocha e poeira de Marte, assim como detectar mudanças de temperatura na superfície. Ela também mede a quantidade de água fria e poeira presentes na atmosfera marciana, mas apenas de uma fina coluna perpendicular à câmera da Mars Odyssey.

A espaçonave está na órbita marciana a pouco mais de 22 anos, e ano que vem irá totalizar 10 mil voltas realizadas no Planeta Vermelho.