Em sua 28ª edição, a Conferência das Partes (COP28), órgão supremo da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, está sendo realizada na Expo City, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos (EAU). E a relação entre as mudanças climáticas e a guerra tem sido um ponto-chave desse encontro.

Pela primeira vez, a COP dedicou um dia para discutir essa conexão, chamando a atenção para a necessidade de mais apoio financeiro aos países mais impactados. Representantes de regiões como Gaza, Iêmen, Síria e Ucrânia presentes no evento trouxeram à tona os impactos ambientais dos constantes combates.

“Ecocídio”, diz um slogan no pavilhão ucraniano, coberto com cartazes detalhando os impactos ambientais da invasão russa. Especialmente sobre a barragem de Kakhovka, houve uma troca de acusações entre Rússia e Ucrânia sobre o desastre.

Protesto em Glasgow, no Reino Unido, em 2021: “Parem a Guerra! Parem o caos climático”, dizem os cartazes da frente, com outro ao fundo escrito “Parem o Ecocídio”. Crédito: Wirestock Creators – Shutterstock

Danos ambientais causados pelas guerras atravessam gerações

É importante entender como a instabilidade do clima e a luta por recursos podem levar países vulneráveis a conflitos armados. Setenta por cento dos países mais afetados pelo clima estão entre os mais frágeis politicamente e economicamente, de acordo com o Banco Mundial.

publicidade

No Iêmen, uma nação já árida na Península Arábica, uma guerra civil intensa aumentou a pressão sobre a escassez de água. O ministro da Água e Meio Ambiente destacou como os conflitos impactam diretamente os recursos hídricos, afetando severamente a população.

Salva Kiir Mayardit, presidente do Sudão do Sul, ressaltou como muitos de seu povo foram deslocados devido a conflitos relacionados à água. Ele enfatizou que a paz e a segurança são seriamente afetadas pelas mudanças climáticas.

No pavilhão palestino, foi discutido o impacto ambiental da ocupação israelense, apontando como os bombardeios destruíram infraestruturas essenciais, como usinas de dessalinização e poços de água.

Leia mais:

Autoridades também alertaram para a interrupção de projetos climáticos em Gaza, já desafiada pela escassez de recursos hídricos e eventos climáticos extremos.

Especialistas alertam que os danos ambientais causados pela guerra na Ucrânia terão repercussões para as futuras gerações, incluindo inundações e enormes emissões de CO2.

Países como Líbia, Iêmen e Síria, envolvidos em conflitos territoriais, enfrentam dificuldades para acessar financiamento climático, devido à fragilidade de seus governos centrais e ao risco de desvio dos fundos para grupos extremistas.

Essa abordagem é crucial para entendermos os desafios enfrentados por muitas nações, onde a busca por recursos e a instabilidade climática estão intrinsecamente ligadas à ocorrência de guerras e ao sofrimento das populações afetadas.