A descoberta de uma subespécie chamada de Tiranossauro mcraeensis pode mudar a compreensão aceita até hoje de como o famoso Tiranossauro rex chegou à América do Norte. O novo dinossauro é um parente mais antigo do temido predador e tinha um tamanho de aproximadamente um ônibus de dois andares.

Leia mais

Parente do Tiranossauro rex

  • As descobertas são baseadas em um crânio coletado anos atrás no oeste do Novo México e em exibição no Museu de História Natural e Ciência do Novo México (NMMNHS).
  • Com base na localização de outros fósseis encontrados anteriormente datados entre 66 e 75 milhões de anos atrás, os pesquisadores sugerem que o T. mcraeensis pode ter vivido entre 71 e 73 milhões de anos atrás – cerca de cinco a sete milhões de anos antes do T. rex.
  • Isso confirmaria que o tiranossauro esteve na América do Norte milhões de anos antes do que os paleontólogos pensavam.
  • O estudo foi publicado na revista Scientific Reports.
  • As informações são do IFLScience.
Um dos dentes do novo tiranossauro (Imagem: reprodução/Nick Longrich)

Evolução dos tiranossauros

Segundo os pesquisadores, a descoberta do novo dinossauro só foi feita após diversas análises. Inicialmente, pensava-se que o fóssil era do Tiranossauro rex.

A evolução lentamente faz com que as mutações se acumulem ao longo de milhões de anos, fazendo com que as espécies pareçam sutilmente diferentes ao longo do tempo. Mais uma vez, a extensão e a importância científica dos fósseis de dinossauros do Novo México ficam claras – muitos novos dinossauros ainda precisam ser descobertos no estado, tanto nas rochas quanto nas gavetas dos museus.

Dr. Nick Longrich, coautor do estudo

O dinossauro recém-descoberto tinha aproximadamente o mesmo tamanho de um T. rex, que media até 12 metros de comprimento e 3,6 metros de altura. Além disso, também era carnívoro.

publicidade

Embora a nova descoberta seja anterior ao parente mais famoso, diferenças sutis nos ossos da mandíbula tornam improvável que tenha sido um ancestral direto. Especialistas sugerem que isso levanta a possibilidade de ainda haver mais descobertas de tiranossauros a serem feitas.

Ainda de acordo com os pesquisadores, a nova descoberta amplia a compreensão sobre os dinossauros. Em primeiro lugar, eles sugerem que os maiores predadores viveram no que hoje é o sul dos Estados Unidos há pelo menos 72 milhões de anos, muito antes do revelado pela análise dos primeiros fósseis de T. rex encontrados na mesma região.

Os novos fósseis também sugerem espécies maiores, mais robustas e mais avançadas que evoluíram no sul dos Estados Unidos, em comparação com os tiranossauros menores e mais primitivos que habitavam Montana e o Canadá.