Após muitas décadas de especulações, arqueólogos finalmente descobriram quem são os familiares enterrados nas três tumbas pertencentes à família de Alexandre, o Grande, no Grande Tumulus de Vergina, no norte da Grécia. Até então o que se sabia era que os parentes do rei da Macedônia estavam enterrados no local, mas onde cada um estava gerava dúvidas.

As sepulturas foram descobertas pela primeira vez em 1977 e foram listadas como Patrimônio Mundial da UNESCO. Além dos familiares de Alexandre, nos túmulos também estavam armaduras do imperador e muitos outros bens funerários.

Na pesquisa, publicada recentemente no Journal of A Archeological Science: Reports, os arqueólogos utilizaram análises osteológicas, macrofotografia, raios-x e dissecações anatômicas de vestígios antigos combinados com registros históricos para descobrir quem era quem nos túmulos.

  • A primeira das tumbas guarda os restos mortais do pai, a madrasta e o meio-irmão recém-nascido de Alexandre, o Grande;
  • A segunda, o meio-irmão e a esposa guerreira dele;
  • E a última, o filho adolescente de Alexandre

O pai e a madrasta de Alexandre, o Grande, estão no tumba I

A tumba I, continha ossos de um homem machucado no joelho, de uma mulher e de um bebê com dias ou semanas de nascimento. Assim foi concluído que ela pertencia a Felipe II da Macedônia, o pai de Alexandre, o Grande, que era conhecido por mancar. A mulher e o bebê são a madrasta e o meio-irmão do rei.

publicidade

Essa conclusão foi construída com base na história de assassinato de Felipe II, que aconteceu em 336 a.C. Os registros apontam que o pai de Alexandre, o Grande, foi morto pelo seu guarda-costas dias depois do nascimento de seu filho com sua atual esposa, chamada Cleópatra.

O assassinato aconteceu a mando de sua ex-esposa, Olímpia, que também era mãe de Alexandre. Alguns dias depois da morte de Felipe II, Olímpia também matou Cleópatra e seu filho.

A evidência do esqueleto do recém-nascido é conclusiva que o Túmulo I pertence à Cleópatra e ao seu filho recém-nascido e, consequentemente, a Filipe II, já que o filho de Cleópatra é o único recém-nascido assassinado conhecido de qualquer casal real macedônio.

Trecho do artigo

Leia mais:

Tumbas II e III

A tumba II, durante algum tempo foi considerada pertencente a Felipe II e Cleópatra, mas a falta de uma lesão na perna e de um bebê recém-nascido, fazem com que essa possibilidade seja desconsiderada. O túmulo, na verdade, é do irmão de Alexandre e sua mulher, o rei Arrhidaeus e sua esposa guerreira Adea Eurídice. 

Essa descoberta foi feita com base nos sinais de cavalgadas excessivas deixadas no esqueleto da mulher, que só poderiam pertencer à esposa do meio-irmão de Alexandre.

Quanto à tumba III, não existem muitos motivos para questionar que ela guarda os restos mortais de Alexandre IV, o filho adolescente de Alexandre, o Grande.