O Departamento de Defesa dos Estados Unidos entrou em contato com a SpaceX, de Elon Musk, para sondar sobre o uso do foguete espacial Starship em missões militares. Segundo um relatório da Aviation Week, o objetivo seria usar a tecnologia em operações consideradas perigosas ou sensíveis.

Leia mais

Uso do foguete em missões secretas

  • Atualmente, a Casa Branca contrata a SpaceX como fornecedora de serviços de lançamento de missões espaciais da NASA.
  • No entanto, o governo dos Estados Unidos tenta assumir o controle total em relação ao uso do foguete, o que permitira o uso da Starship inclusive em missões secretas.
  • Esse é um desejo antigo do Pentágono, que já em 2020 sondava usar a tecnologia para transportar carga ou mesmo soldados em todo o mundo.
  • As informações são da Space.com.
Starship da SpaceX estacionada
Foguete Starship (Imagem: Darrell Etherington)

Starship: futuro militar?

O relatório da Aviation Week cita comentários feitos por Gary Henry, conselheiro sênior de soluções espaciais de segurança nacional da SpaceX, durante a Conferência de Mobilidade Espacial de 2024, realizada em Orlando, na Flórida.

Tivemos conversas (…) e realmente se resumiu a missões específicas, onde é um risco muito específico e às vezes elevado ou talvez um caso de uso perigoso para o Departamento de Defesa dos Estados Unidos, onde eles estão se perguntando: ‘Precisamos possuí-lo como um ativo específico … SpaceX, você pode acomodar isso? Temos explorado todos os tipos de opções para lidar com essas questões.

Gary Henry, conselheiro sênior de soluções espaciais de segurança nacional da SpaceX

Henry ainda destacou que há muito potencial nessa parceria. Já o coronel Eric Felt, diretor de arquitetura espacial do Gabinete do Secretário da Força Aérea para Aquisição e Integração Espacial, acrescentou que “pode haver alguns casos de uso em que precisa haver um [veículo] de propriedade do governo, operado pelo governo, e essa transferência pode acontecer em tempo real”.

publicidade

Atualmente, a Starship está sendo utilizada em missões com o objetivo de levar a humanidade de volta à Lua e possibilitar a construção de assentamentos por lá e em Marte. O foguete já passou por dois testes até o momento: um em abril de 2023 e outro em novembro de 2023. Um terceiro voo de teste pode ocorrer já em fevereiro de 2024, mas ainda depende de aprovação regulatória do governo dos EUA.