O avanço da dengue no Brasil preocupa as autoridades. Mas a chegada de uma vacina no país pode ajudar a conter a proliferação da doença. A Qdenga, da farmacêutica Takeda, será distribuída pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Enquanto isso, um imunizante também está sendo desenvolvido pelo Instituto Butantan e pode ficar disponível para a população em 2025.

Leia mais

A Qdenga recebeu o aval da agência reguladora em março de 2023 e foi incorporada ao sistema público universal em dezembro do mesmo ano. Já o imunizante em desenvolvimento pelo Butantan tem sido estudado há 15 anos, com a fase 1 de testes clínicos sendo feita entre 2010 e 2012, e a fase 2, em 2013 e 2015. Em 2018, o instituto firmou uma parceria com a farmacêutica MSD para acelerar o desenvolvimento da vacina. Os resultados dos testes clínicos de fase 3 foram divulgados na última quarta-feira (31). As informações são da CNN.

vacina da dengue
Vacina contra a dengue (Imagem: shutterstock/chemical industry)

Diferenças entre as vacinas

  • A Qdenga e a vacina do Instituto Butantan são produzidas com o vírus da dengue atenuado.
  • Isso estimula o sistema imunológico a produzir células e anticorpos específicos para proteger a pessoa infectada.
  • A diferença é que o imunizante brasileiro contém os quatro tipos do vírus da dengue em versões enfraquecidas, enquanto a Qdenga conta apenas com o subtipo DEV-2.
  • Apesar disso, ambas protegem contra os quatro tipos do vírus da dengue.
  • A eficácia de cada vacina pode variar de acordo com fatores como a idade, quadro clínico e se a pessoa já teve dengue antes ou não.
  • As taxas de eficácia da Qdenga em até 54 meses após a vacinação completa são: 63% para a doença sintomática de qualquer gravidade e 85% para internação pela doença.
  • Já o imunizante desenvolvido pelo Butantan tem 73,5% de eficácia em quem nunca teve contato com o vírus;, 89,2% em quem já teve dengue anteriormente e 79,6% de eficácia geral.
  • A vacina Qdenga é indicada para crianças a partir de 4 anos de idade, adolescentes e adultos até 60 anos, independentemente se a pessoa já teve dengue antes ou não.
  • O imunizante é contraindicado para pessoas com alergia grave a algum dos componentes da vacina, gestantes, mulheres em fase de amamentação, pessoas com imunodeficiência e pacientes com HIV.
  • Já a vacina do Butantan foi testada em ensaio clínico de fase 3 em 16.235 pessoas com idades de 2 a 59 anos.
  • Dessas pessoas que receberam o imunizante, apenas três (menos 0,1%) apresentaram eventos adversos graves e todos se recuperaram totalmente.
  • A frequência de eventos adversos foi a mesma em todas as faixas etárias, o que indica que a vacina deverá ser indicada para pessoas entre essas idades.
  • O esquema de dose da Qdenga é de duas aplicações, com intervalo de três meses entre elas.
  • Por outro lado, a vacina do Butantan foi testada em duas doses, com a segunda aplicação sendo realizada 6 ou 12 meses após a primeira.
  • No entanto, não foram observadas diferenças significativas na resposta de anticorpos.
  • Isso indica que a vacina deverá ser aplicada em uma única dose.