Eduardo Paes (PSD), prefeito do município Rio de Janeiro, decretou estado de emergência em saúde pública na cidade devido ao aumento nos casos de dengue. De acordo com informações do G1, a medida saiu no Diário Oficial da região nesta segunda-feira (5). 

O que você precisa saber: 

  • Só em janeiro, foram mais de 11 mil casos, com recorde de internações (mais de 300) — o maior número desde 1974; 
  • Na sexta-feira (2), o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, afirmou que o Rio já vivia uma epidemia de dengue; 
  • Com isso, a prefeitura decidiu estabelecer 10 polos de atendimento a pacientes com a doença — a primeira unidade ficará em Curicica; 
  • A cidade também adotou um plano de contingência para assistência da população e combate ao Aedes aegypti — o plano inclui leitos exclusivos a pacientes com dengue e uso de carros-fumacê nas regiões com maior incidência de casos; 
  • Testes rápidos para a dengue também serão comprados pela prefeitura via licitação, com investimento de R$ 2 milhões. 

Leia mais! 

Segundo comunicado da prefeitura, “a combinação de altas temperaturas (que acelera a eclosão dos ovos e o desenvolvimento das larvas), chuvas frequentes (que forma os acúmulos de água) e a circulação de três sorotipos da doença (DENV1, DENV2 e DENV4) torna o cenário mais favorável à ocorrência da doença”.  

publicidade

Atualmente, a Zona Oeste da cidade, em especial as regiões de Campo Grande/ Santíssimo/ Guaratiba e Santa Cruz/ Paciência/ Sepetiba, são as que registram as maiores taxas de incidência de dengue — onde estará o foco do plano de contingência. 

A vacinação de crianças e adolescentes de 10 a 14 anos contra a dengue no município do Rio também será prioridade assim que os imunizantes estiverem liberados. Saiba mais aqui sobre a vacinação contra a dengue! 

O estado do Rio de Janeiro 

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, o número de casos de dengue em todo estado do RJ em 2024 já é 12 vezes maior que no ano passado. Conforme dados da pasta, foram 17.437 casos nas quatro primeiras semanas de janeiro contra 1.400 no mesmo período de 2023. 

Até agora, duas mortes foram registradas, uma em Itatiaia e outra em Mangaratiba. 

Dos 92 municípios fluminenses, catorze apresentam taxa de incidência acima de 500 casos por 100 mil habitantes. Os destaques são Itatiaia, Cambuci, Resende e Piraí. 

Em um único mês de 2024 nós já temos quase a metade dos casos de todo o ano anterior, o que gera uma preocupação intensa. 

Prefeitura do RJ em comunicado. 

Vale lembrar que o Rio de Janeiro é um estado brasileiro localizado na região Sudeste. Ele tem como capital o município do Rio de Janeiro (sim, cidade com o mesmo nome).