Pesquisadores descobriram que um fóssil de 380 milhões de anos localizado na Austrália seria de um animal “intermediário” entre os peixes atuais e os tetrápodes (vertebrados terrestres com quatro membros). Os trabalhos de análise duraram 50 anos.

Leia mais

Animal foi localizado em um dos rios mais antigos do planeta

  • Fósseis fragmentados já tinham sido encontrados em 1973 e 1991, porém o tamanho dificultava a análise deles.
  • Foi apenas a partir de uma recente descoberta de um crânio e da parte intacta do corpo de um Harajicadectes zhumini que foi possível avanços nos estudos.
  • De acordo com os pesquisadores, o fóssil pertence ao período Devoniano, tendo aproximadamente 380 milhões de anos.
  • Ele estava em Harajica Sandstone Member, no norte da Austrália, a cerca de 200 quilômetros do rio Finke, considerado um dos lagos mais antigos do mundo.
  • As descobertas foram publicadas na revista científica Journal of Vertebrate Palaeontology.
  • As informações são da IFLScience.
Fóssil foi encontrado em lago antigo na Austrália (Imagem: Brian Choo/Universidade Flinders University)

Peixe antigo podia respirar dentro e fora da água

O que permitiu as conclusões do estudo foi o fato do material recuperado contar com um crânio quase completo e boa parte do corpo preservado. Os pesquisadores ficaram impressionados com as descobertas.

O fóssil foi nomeado Harajicadectes zhumini em referência ao local onde foi encontrado, à palavra grega dēktēs (“mordedor”) e ao pesquisador Min Zhu, que deu importantes contribuições aos estudos de vertebrados mais primitivos.

publicidade

A espécie tinha cerca de 40 centímetros e é descrita como um predador com nadadeiras lobadas, presas grandes e escamas ósseas. Uma das suas características mais marcantes está relacionada ao crânio, que contém grandes aberturas no topo.

Segundo os cientistas, essa composição indica que o peixe antigo era capaz de respirar dentro (a partir da respiração branquial tipicamente associada aos peixes) e também fora da água.

Esse é um elemento visto em outros tipos de tetrapodomorfos no Devoniano Médio e no Devoniano Superior. Para os pesquisadores, essa adaptação pode ter coincidido com um período no qual houve uma diminuição de oxigênio atmosférico na Terra.

Novos estudos são necessários para entender qual a posição do Harajicadectes zhumini dentro do processo de evolução dos peixes.