O fim do iTunes está cada vez mais próximo. Isso porque os aplicativos Apple TV, Apple Music e Apple Devices chegam ao Windows, da Microsoft, nesta semana, segundo a empresa de Tim Cook. Na prática, o trip de apps substitui o clássico gerenciador de mídias da Apple.

Para quem tem pressa:

  • O trio de aplicativos Apple TV, Apple Music e Apple Devices chegam ao Windows nesta semana. E o lançamento deixa o fim do iTunes mais próximo;
  • O Apple TV e Apple Music funcionam como bibliotecas e plataformas de streaming, enquanto o Apple Devices serve para sincronizar e gerenciar iPhones e iPads;
  • O iTunes, lançado em 2001, era pensado para ser um reprodutor de mídia digital e biblioteca de música para Macs. Com o tempo, se tornou um símbolo da compra e download (legal) de músicas, além de reprodução de vídeos e podcasts;
  • Com os novos apps, combinados ao iCloud repaginado, a Apple busca afastar usuários do Windows da dependência do iTunes. Mas o software ainda é útil para ouvir podcasts e audiolivros.

Tanto Apple TV quanto Apple Music são plataformas de streaming da empresa. Já o Apple Devices servirá para sincronizar e gerenciar aparelhos da marca – por exemplo: iPhones e iPads. Ou seja, serão caminhos para assistir, ouvir e sincronizar conteúdo (e dispositivos) da Apple no Windows.

Leia mais:

Fim do iTunes (?)

Ícone do iTunes em Mac
(Imagem: slyellow/Shutterstock)

Lançado em 2001, o iTunes tinha como objetivo ser um reprodutor de mídia digital e biblioteca de música para Macs, os computadores da Apple. Ao longo dos anos, o software (hoje chamado de aplicativo) ganhou recursos e se tornou uma espécie de símbolo da compra e download (legal) de músicas, além de reprodução de conteúdo – vídeos e podcasts, por exemplo.

publicidade

Agora, o trio de aplicativos, combinados ao app repaginado do iCloud para Windows, deve afastar usuários da Microsoft da dependência do iTunes, de acordo com o MacRumors. Se você usar Apple TV, Apple Music e Apple Devices, então só vai precisar acessar o iTunes para ouvir podcasts e audiolivros. Mas existem diversas outras plataformas para isso.

O aplicativo Apple Music oferece acesso à biblioteca do iTunes, juntamente a compras de músicas e álbuns (CDs, discos). Já o Apple TV permite que usuários do Windows assistam a filmes e séries de sua biblioteca do iTunes, além de conteúdo de streaming por assinatura. Por fim, o Apple Devices permite que proprietários de PC façam backup ou restaurem iPhones e iPads, bem como sincronizem conteúdo nos dispositivos.

A Microsoft tem trabalhado com a Apple nos aplicativos e até mesmo saudou seu lançamento nesta semana. A empresa já tinha anunciado a integração do iCloud Photos ao Windows, por meio da qual dá para conectar o aplicativo Fotos da Apple ao sistema operacional.

Os novos aplicativos da Apple para Windows estão disponíveis apenas em computadores baseados em x86 com Windows 10 ou Windows 11. E ainda não há indícios de versões ARM64 para dispositivos Windows com processador da Qualcomm.