O Disney+ vai seguir o caminho da Netflix e começar a bloquear o compartilhamento de senhas nos Estados Unidos. O streaming vai iniciar esse bloqueio a partir do dia 14 de março para clientes que já possuem conta. No entanto, novos clientes já não podem realizar o compartilhamento. A notícia foi divulgada pelo grupo Disney em e-mail.

O diretor financeiro da Disney, Hugh Johnston, ainda disse, durante uma teleconferência de resultados, que haverá uma opção para pagar uma taxa extra e adicionar usuários que moram em outras residências. Porém, não foi informado qual será o valor cobrado.

Leia mais:

Vale ressaltar que o streaming vem de uma onda de perda de assinantes após aumento dos preços praticados nos Estados Unidos e no Canadá. Foram cerca de 1,3 milhão de assinantes a menos no último trimestre de 2023. O número foi de 112,6 milhões para 111,3 milhões no final do ano, impactando, inclusive, o recorde que o serviço havia conquistado no trimestre anterior (agosto a outubro) — o número total de assinantes, incluindo outros mercados, caiu de 150,2 milhões para 149,6 milhões.

publicidade

Compartilhamento de senhas do Disney+ em outros países

Ainda não há previsão para essa medida chegar ao Brasil, mas é inegável que se trata de uma tendência, que pode se concretizar em breve. O primeiro país a sofrer com a medida foi o Canadá, que teve o compartilhamento encerrado no fim de 2023.

A Disney tem como objetivo para o Disney+ adicionar de 5,5 milhões a 6 milhões de assinantes no primeiro trimestre de 2024. O crescimento do Hulu, que agora opera sob domínio total da Disney, viu um aumento de assinantes no serviço: de 43,9 milhões para 45,1 milhões, isso somente no streaming. A plataforma ainda opera em forma de teste. Uma versão integrada do Hulu e Disney+ deve ser lançada em março de 2024.