A Apple segue testando e aprimorando ferramentas próprias de Inteligência Artificial. A empresa acaba de anunciar a criação do Keyframer, um sistema capaz de animar imagens bidimensionais (2D) estáticas a partir de comandos em texto.

O Keyframer não é um modelo de IA em si; ele funciona a partir de um – o mais famoso deles, aliás: o GPT-4, um grande modelo de linguagem (LLM, na sigla em inglês) que é o motor do ChatGPT, da OpenAI.

publicidade

Leia mais

O objetivo da Apple é ajudar o trabalho de designers e animadores. Ou ainda trazer no futuro uma ferramenta a mais para os donos de iPhone e de outros aparelhos da companhia.

publicidade

A novidade foi apresentada nesta quarta-feira (14). Ela, no entanto, apareceu pela primeira vez na semana passada, em artigo intitulado “Keyframer: Empowering Animation Design Using Large Language Models“.

No texto, a Apple afirma que os grandes modelos de linguagem ainda são “subexplorados” na animação, apesar do potencial que demonstraram em outros meios criativos, como a escrita e a geração de imagens. A ideia da empresa de Steve Jobs é continuar explorando esse terreno.

publicidade

Como usar?

  • Utilizando o GPT-4, o Keyframer pega arquivos Scalable Vector Graphic (SVG) – um formato de ilustração que pode ser redimensionado sem interferir na qualidade – e gera um código CSS para animar a imagem com base em um texto.
  • Para usar a ferramenta, portanto, a primeira coisa que você deve fazer é o upload de uma imagem nesse formato.
  • Na sequência, você deve digitar uma ordem, algo como “faça as estrelas brilharem” na caixa de prompt.
  • Outra ideia citada no artigo é “faça o foguete decolar” – como na imagem abaixo.
  • Depois disso você clica em gerar e pronto: terá a sua animação.
Imagem: Divulgação/Apple
  • Não existe um vídeo disponível, mas essas comparações quadro a quadro mostram um pouco do potencial do Keyframer.
  • Perceba que na ilustração de Saturno algumas estrelas acendem e apagam na sequência.
  • No caso do foguete, ele vai subindo e deixando a Lua para trás.
  • A empresa destaca que os usuários não precisam de nenhuma experiência de codificação para utilizar a ferramenta.

O Keyframer pode acabar com empregos?

Essa é uma questão que vem tirando o sono de praticamente todas as áreas: a Inteligência Artificial vai acabar substituindo os humanos e gerar uma onda de desemprego?

Os autores desse estudo dizem que não. A ideia, segundo eles, é ajudar alguns profissionais, permitindo a eles o uso de um recurso que vai facilitar o trabalho. Além disso, como já explicamos, a Apple deve levar o Keyframer para os seus produtos no futuro – e aí o seu uso deve focar mais na diversão.

publicidade

A empresa também teve o cuidado de mencionar as limitações da ferramenta no artigo. O Keyframer se concentra em animações baseadas na web, como sequências de carregamento, visualização de dados e transições animadas.

Por outro lado, o tipo de animação que você vê em filmes e videogames é complexo demais para ser produzido apenas com descrições. Ou seja, a novidade não deve afetar os profissionais da área.

Vale lembrar que o Keyframer ainda está em testes na comunidade acadêmica, o que significa que não está disponível para o grande público. Com o sucesso do estudo, porém, a expectativa é que ele seja lançado em breve, sendo incorporado ao sistema da Apple – talvez até no lançamento do iOS 18.

As informações são do The Verge.