A SpaceX lançou o Nova-C, módulo robótico da empresa estadunidense Intuitive Machine, rumo ao polo sul da Lua na madrugada desta quinta-feira (15). A missão, que conta com apoio da NASA, se chama IM-1 por ser a primeira tentativa de pouso lunar da Intuitive Machine.

Para quem tem pressa:

  • A SpaceX lançou o módulo robótico Nova-C, da Intuitive Machine, rumo ao polo sul da Lua na madrugada desta quinta-feira (15). A missão se chama IM-1 por ser a primeira tentativa de pouso lunar da empresa;
  • O foguete Falcon 9 decolou às 3h05 (horário de Brasília) carregando o módulo, apelidado de Odysseus. Todas as etapas do procedimento ocorreram conforme planejado e a sonda está prevista para chegar à Lua em 22 de fevereiro;
  • Se bem-sucedida, a missão IM-1 será a primeira a realizar um pouso de uma sonda de empresa privada na Lua, além de marcar o retorno dos EUA ao satélite natural após mais de 50 anos;
  • O lander Nova-C tem como destino a cratera de impacto Malapert A, perto do polo sul lunar. É uma região de interesse para cientistas e entusiastas da exploração lunar pois acredita-se ter grandes quantidades de gelo.

O foguete Falcon 9 decolou do Centro Espacial Kennedy da NASA, na Flórida (EUA), às 3h05 (no horário de Brasília) carregando o módulo robótico, apelidado de Odysseus. O foguete decolou com sucesso e todas as etapas do procedimento ocorreram dentro do planejado.

Leia mais:

A previsão é que o módulo lunar Nova-C chegue à Lua em 22 de fevereiro. Se o pouso der certo, a missão IM-1 será a primeira a levar uma sonda de uma empresa privada à região do satélite natural da Terra. Além disso, vai marcar o retorno dos Estados Unidos à Lua após mais de 50 anos.

publicidade

Assista abaixo ao lançamento do foguete Falcon 9, da SpaceX:

A empresa de Elon Musk também postou no X (antigo Twitter) a implantação da missão IM-1 – isto é, momento no qual a carenagem do Falcon 9 “solta” o módulo no lugar planejado no espaço para ele seguir viagem até a Lua. Veja abaixo:

O que a missão IM-1 vai levar à Lua

A missão IM-1 tem como objetivo posicionar o lander Nova-C próximo à cratera de impacto Malapert A, localizada a dez graus de latitude do polo sul da Lua. Essa região é de grande interesse para cientistas e entusiastas da exploração lunar, pois acredita-se que contenha grandes quantidades de gelo de água.

O módulo de pouso Odysseus transporta seis instrumentos científicos da NASA, por meio do programa Serviços Comerciais de Carga Útil Lunar (CLPS) da agência, que busca aproveitar pousos robóticos privados para coletar dados científicos que contribuirão para o estabelecimento de uma presença humana duradoura na Lua, como parte do programa Artemis.

Os instrumentos da agência incluem um sensor de descida e pouso baseado em laser, um sistema de câmeras para detalhar a pluma gerada pelo pouso lunar de Odysseus e um novo “medidor de combustível da era espacial”, que vai utlizar sensores para medir o propelente remanescente nos tanques do módulo de pouso, uma tarefa desafiadora no ambiente de microgravidade. 

Conforme consta no site da empresa, a carga também conta com outros seis experimentos independentes.

Se bem-sucedido, o pouso de Odysseus pode contribuir para os avanços na exploração lunar já alcançados por iniciativas governamentais da Rússia (na época da União Soviética), EUA, China, Índia e, mais recentemente, Japão.