Um grupo de pesquisadores da Universidade de Bristol, no Reino Unido, desenvolveu um modelo computacional que simula a poeira lunar (ou regolito) de uma forma impressionante. A pesquisa poderia ajudar futuras missões à Lua a operarem robôs de forma mais segura e suave e até mesmo ser usada para treinar astronautas.

Para quem tem pressa:

  • Um modelo computacional desenvolvido por pesquisadores ingleses pode ser útil para tornar a operação de robôs a longa distância mais leve e eficiente;
  • A poeira lunar digital poderá ser utilizada para espelhar a operação de robôs na Lua, tornando os processos mais rápidos;
  • A pesquisa foi baseada no melhoramento de estudos anteriores, e o resultado foi promissor.

No estudo, publicado na revista Frontiers in Space Technologies, os pesquisadores baseados no Laboratório de Robótica de Bristol investigaram o regolito e desenvolveram uma versão virtual do material para que possa ser utilizado em simulações.

Fluxo de funil pequeno – Os mesmos experimentos foram montados em simulação e realidade para ver se o regolito virtual se comportava de forma realista. Este teste analisou como pequenas amostras de material (16 g) fluíam através de funis estreitos. Crédito: Joe Louca

O estudo da poeira lunar é importante para as missões lunares que acontecerão até o final da década e na próxima, pois os cientistas podem descobrir formas de usá-la para apoiar a exploração do satélite. O problema é que a operação de robôs a longa distância para coletarem o regolito está sujeita a atrasos no sistema, e enviar astronautas para isso é caro e arriscado.

publicidade

No entanto, com a simulação muito semelhante à realidade, os pesquisadores podem utilizá-la para espelhar a operação robótica na Lua, reduzindo os atrasos e possibilitando um controle mais suave e eficiente.

Pense nisso como um videogame realista ambientado na Lua – queremos ter certeza de que a versão virtual da poeira lunar se comporta exatamente como a coisa real, para que se a usarmos para controlar um robô na Lua, ela atue como esperamos. Este modelo é preciso, escalável e leve, portanto pode ser usado para apoiar futuras missões de exploração lunar.

Joe Louca, principal autor da pesquisa, em comunicado

Leia mais:

Modelos de poeira lunar

A simulação surgiu com base no desejo de operadores de robôs especializados de treinarem em seus sistemas com risco e realismo gradualmente crescentes em um modelo de simulação preciso. Embora modelos de poeira lunar muito semelhantes à realidade tenham sido desenvolvidos anteriormente, eles são muito detalhados, fazendo com que seja preciso muito tempo computacional, o que torna tudo mais lento.

Pensando nisso, pesquisadores do Centro Aeroespacial Alemão desenvolveram um modelo computacional em que só é considerado densidade, viscosidade e fricção do regolito, bem como a gravidade da Lua, o que permitiu que ele fosse executado em tempo real. No entanto, esse modelo opera melhor com pequenas quantidades de poeira lunar.

No modelo desenvolvido na nova pesquisa, os cientistas tinham como objetivo aumentar a quantidade de regolito que a simulação pudesse lidar, ao mesmo tempo que ele continuava sendo executado em tempo real. O resultado da poeira lunar digital foi promissor e agora espera-se investigar se ela pode ser usada ao operar robôs.