Um congressista influente dos EUA levantou preocupações sobre a SpaceX estar retendo serviços de satélite em Taiwan, possivelmente violando seus compromissos contratuais com o governo americano. O representante Mike Gallagher escreveu uma carta a Elon Musk, mencionando relatos de que o serviço de banda larga por satélite da empresa, através da unidade Starshield, está inativo na região.

Essa situação desperta preocupações sobre comunicações, incluindo para pessoal militar dos EUA, em caso de agressão chinesa contra Taiwan.

Leia mais:

Conforme apurado pelo Wall Street Journal, Gallagher liderou recentemente uma delegação bipartidária do Congresso em uma visita a Taiwan, onde reiterou seu compromisso em deter qualquer tentativa chinesa de assumir o controle da ilha militarmente.

publicidade

A SpaceX, empresa de Musk, é conhecida por seu programa Starshield, projetado para fornecer comunicações via satélite seguras para clientes de segurança nacional. A empresa tem colaborado estreitamente com agências militares e de inteligência dos EUA. A SpaceX também opera a maior frota de satélites de comunicação em órbita terrestre baixa, regularmente lançando novos lotes deles. Esse serviço alimenta o serviço de internet Starlink da empresa, projetado para assinantes civis.

SpaceX e os interesses de Elon Musk

Comunidades e o exército na Ucrânia usaram o Starlink para se manterem conectados durante a guerra do país contra a Rússia. Um oficial de inteligência militar da Ucrânia disse que as forças russas estavam usando os serviços do Starlink em partes ocupadas da Ucrânia.

Musk disse que a SpaceX não estava vendendo terminais Starlink para a Rússia e a Starlink disse que a SpaceX toma medidas para desativar terminais Starlink se a empresa determinar que partes sancionadas ou não autorizadas estão usando-os.

Musk tem sido, em grande parte, deferente publicamente à China, levando alguns a sugerir que ele se tornou muito dependente do governo chinês. Ele tem fortes laços comerciais com a China por meio de sua empresa de veículos elétricos Tesla, onde também é diretor-executivo.

Diferentemente de líderes empresariais dos EUA que tentaram evitar se envolver na controvérsia sobre as relações China-Taiwan, Musk se inseriu várias vezes no assunto. Seus comentários sobre Taiwan irritaram líderes do governo lá, incluindo em setembro passado, quando Musk descreveu a ilha autogovernada como o equivalente chinês do Havaí.

Em 2022, Musk recebeu elogios do então embaixador chinês nos EUA quando disse que Taiwan deveria concordar em se tornar uma zona administrativa especial para a China, semelhante a Hong Kong.

No ano passado, Musk disse à CNBC que era “inevitável” que a China eventualmente tomasse o controle de Taiwan. “A política oficial da China é que Taiwan deve ser integrada. Não é necessário ler entrelinhas”, disse Musk. “Estou apenas dizendo que esta é a política deles. E acho que você deve levar a sério. Eles querem dizer isso”.