A SpaceX planeja lançar regularmente o foguete Starship do Centro Espacial Kennedy, na Flórida (EUA). Para isso, a empresa irá reformar um local de lançamento da era Apollo e construir um novo, de acordo com novo relatório de impacto ambiental, indica o New Atlas.

O Starship tem estado nas notícias nos últimos anos, especialmente pelo fim explosivo de suas duas primeiras tentativas de chegar à órbita. No entanto, seu tamanho e poder impressionantes tendem a se perder em meio a tanta familiaridade. O novo foguete principal da SpaceX não é apenas uma exibição de tecnologia avançada ou linhas retrôs legais, é verdadeiro monstro de veículo espacial.

Leia mais:

Starship

  • O Starship é o maior e mais poderoso foguete que já voou, alcançando 120 metros de altura e gerando mais de 7,25 milhões de quilos de empuxo com seus 33 motores Raptor, superando até mesmo o Sistema de Lançamento Espacial (SLS) da NASA em termos de altura e empuxo;
  • O foguete pode colocar 150 toneladas em órbita, com ambas as suas etapas retornando à Terra para reutilização, tornando-o mais eficiente em comparação com o SLS;
  • Além disso, o Starship foi projetado para voos frequentes e repetidos, ao contrário do SLS, que voa apenas uma vez a cada dois anos.

Dificuldades no lançamento anterior

A primeira tentativa de lançamento orbital da SpaceX no Texas foi espetacular, mas bastante destrutiva. A plataforma de lançamento foi projetada de forma inadequada, causando danos significativos ao solo. O relatório de impacto ambiental destaca a necessidade de melhorias na infraestrutura de lançamento para acomodar o Starship.

publicidade

De acordo com o relatório de impacto ambiental, a SpaceX pretende utilizar o Space Launch Complex 37 (SLC-37), construído em 1959 e utilizado para testes dos propulsores Apollo. O complexo será parcialmente demolido e reconstruído para lidar com o Starship. Além disso, outro complexo, chamado SLC-50, pode ser construído nas proximidades como alternativa.

O relatório também destaca o interesse militar no Starship, com a Força Aérea dos EUA e a Força Espacial considerando-o como um possível transporte militar para carga e tropas. O futuro dos lançamentos comerciais será muito diferente, com foguetes Super Heavy decolando rotineiramente e com força poderosa, como um avião decolando.