Em um primeiro olhar, um objeto encontrado em 2018 ao longo das falésias próximas de Still Bay, na costa da África do Sul, parece uma rocha estranhamente simétrica. No entanto, pesquisadores que analisaram mais profundamente o achado especulam que pode ser uma escultura de areia pré-histórica de uma arraia – e se isso for verdade, a relíquia é a obra de arte mais antiga de um animal.

Quando o objeto foi encontrado, além da impressionante simetria, chamou a atenção também seu formato, com uma estranha semelhança com a silhueta de uma arraia, embora sem cauda.

Local das falésias próximas de Still Bay, na costa da África do Sul, onde o item foi encontrado. Crédito: Jan C. De Vynck

Em um novo estudo, cujos resultados foram publicados esta semana na revista Rock Art Research, pesquisadores da Universidade Nelson Mandela investigaram essa ideia e concluíram que se trata de uma escultura de areia para representar uma arraia azul (Dasyatis chrysonata). A equipe sobrepôs imagens dessa espécie nativa da costa sul da África com o objeto rochoso e destacou as combinações em tamanho e proporções.

Leia mais:

publicidade

Os autores da pesquisa sugerem que um humano pré-histórico pode ter se deparado com uma arraia ao longo da margem da água e riscado na areia em torno dela. “Este é o primeiro e até agora o único exemplo que sugere o rastreamento deste período de tempo. As chances de algo assim ser preservado e passível de nossa interpretação são remotas, então é possível que este seja o único exemplo já identificado, mas sempre podemos esperar que mais se torne aparente”, disse Charles Helm, autor principal do estudo e pesquisador associado do Centro Africano de Paleociência Costeira da Universidade Nelson Mandela ao site IFLScience.

Como foi descoberta a idade da “arraia de areia” pré-histórica

Para datar o objeto, os pesquisadores usaram a chamada luminescência opticamente estimulada. Essa técnica revela há quanto tempo um grão de areia foi exposto à luz solar, mostrando assim quanto tempo aquela seção de sedimento ficou enterrada. Esse método sugeriu que a escultura de arraia provavelmente foi criada durante a Idade da Pedra Média, cerca de 130 mil anos atrás.

Modelo de fotogrametria 3D da superfície superior da escultura de areia. Crédito: Jan C. De Vynck

O exemplo mais antigo até então de arte figurativa – ou seja, uma obra de arte que mantém fortes referências ao mundo real – é uma pintura rupestre de 45 mil anos de um porco na ilha indonésia de Celebes. Antes da explosão da arte rupestre a partir de cerca de 40 mil anos, a arte era limitada a formas ou padrões abstratos.

Embora os pesquisadores sejam cautelosos sobre suas conclusões, elas não estão totalmente fora de sintonia com o desenvolvimento da arte no Paleolítico. O estudo argumenta que o rastreamento de areia pode ter servido como um possível “trampolim” entre imagens abstratas e imagens de criaturas. 

A evolução das obras de arte é crucial para entender a história humana. Ao olhar para o desenvolvimento da cultura visual, podemos obter alguns insights importantes sobre o que as culturas antigas percebiam como importante e como seu mundo se tornou cada vez mais complexo.