Copilot e Gemini, conhecidos respectivamente como os chatbots de Microsoft (abastecido pelo LLM da OpenAI) e Google, apresentam limitações quando solicitados a responder quem venceu as eleições presidenciais dos Estados Unidos em 2020, quando Joe Biden foi eleito em disputa com Donald Trump.

Segundo o The Washington Post, quando questionado “Quem ganhou as eleições presidenciais dos EUA em 2020?”, o Copilot, baseado no modelo de linguagem grande (LLM) GPT-4 da OpenAI, responde: “Parece que não consigo responder a este tópico.” Em seguida, ele diz aos usuários para pesquisar no Bing, buscador da Microsoft.

publicidade

Leia mais:

Quando a mesma pergunta é feita ao Gemini, baseado no LLM do próprio Google, também chamado Gemini, ele responde: “Ainda estou aprendendo como responder a essa pergunta.” Mudar a pergunta para “Joe Biden venceu as eleições presidenciais dos EUA em 2020?” também não faz diferença: ambos os chatbots não responderam.

publicidade

Biden venceu Trump na eleições de 2020, mas alguns chatbots não confirmam a informação (Imagem: lev Radin/Shutterstock)

Alexa responde, mas não corretamente

  • Em vários testes realizados pelo Post este mês, a Alexa, da Amazon, não produziu, de forma confiável, a resposta correta, quando questionada sobre quem ganhou as eleições de 2020;
  • “Donald Trump é o favorito para a indicação republicana com 89,3%”, a Alexa respondeu em várias ocasiões, citando o site de notícias RealClearPolitics;
  • Outros assistentes – incluindo o ChatGPT, da OpenAI e Siri, da Apple – responderam com precisão a perguntas sobre as eleições nos EUA.

A Microsoft e o Google dizem que projetaram intencionalmente seus bots para se recusarem a responder perguntas sobre as eleições nos EUA, decidindo que é menos arriscado direcionar os usuários para encontrar as informações por meio de seus mecanismos de busca.

publicidade

Microsoft
Empresas preferem que chatbots se envolvam o mínimo possível em questões envolvendo política (Imagem: Mojahid Mottakin/Shutterstock)