Conforme noticiado pelo Olhar Digital, a NASA criou um habitat impresso em 3D para simular a vida em Marte. Os quatro membros da primeira missão análoga ao Planeta Vermelho nessa instalação, que fica no Centro Espacial Johnson, em Houston, no estado norte-americano do Texas, estão prestes a concluir um ano de trabalho e a deixar o confinamento.

Iniciada em junho do ano passado, a expedição vai acabar no sábado (6), de acordo com um comunicado da NASA. O grupo é formado por Kelly Haston (comandante), Ross Brockwell (engenheiro de voo), Nathan Jones (oficial médico) e Anca Selariu (oficial de ciência) – saiba mais sobre eles aqui

publicidade
Foto oficial da tripulação CHAPEA 1. Da esquerda para a direita: Anca Selariu, Ross Brockwell, Kelly Haston, Nathan Jones. Crédito: NASA

Eles passaram todo esse tempo morando e trabalhando em uma estrutura de 160 metros quadrados chamada Mars Dune Alpha, que é toda adaptada para as condições marcianas. Por meio do programa CHAPEA (sigla em inglês para Saúde e Desempenho da Tripulação em Exploração Análoga), os membros experimentam um cenário totalmente compatível com Marte ao longo de toda a missão.

Durante esse período (que vai totalizar 378 dias ao final), a tripulação realizou várias simulações de caminhadas espaciais, plantou e colheu uma diversidade de culturas e participou da manutenção do habitat e dos equipamentos.

publicidade
Dentro do habitat, a tripulação da missão CHAPEA 1 cultivou tomates. Crédito: Tripulação da NASA/CHAPEA

Leia mais:

Habitat 3D da NASA oferece condições iguais às de Marte

Para reproduzir de forma fidedigna o ambiente marciano, o lugar é coberto com areia vermelha, com um pano de fundo de penhascos rochosos e não oferece ar livre, além de oferecer as mesmas temperaturas e pressão atmosférica de Marte.

publicidade

Tudo para ajudar os cientistas da NASA a avaliar as respostas dos organismos dos participantes aos estímulos pelos quais eles vão passar durante toda a jornada, o que será útil no planejamento de missões futuras reais ao nosso cobiçado vizinho.

Uma nova equipe deve ser anunciada nos próximos dias para a segunda missão de um ano nessas instalações, com as inscrições tendo iniciado em fevereiro.

publicidade

A NASA está liderando um retorno à Lua para ciência e exploração de longo prazo. Por meio das missões Artemis, serão usadas tecnologias inovadoras para investigar mais da superfície lunar do que nunca. Lições aprendidas dentro e ao redor da Lua e atividades como as missões CHAPEA em solo prepararão a agência no próximo grande passo: enviar astronautas a Marte.