Se em 2023 a Starship teve problemas para voar, neste ano o maior foguete do mundo já caminha para o seu terceiro lançamento em poucos meses (o quinto no total). Em uma postagem no X (antigo Twitter), o CEO da SpaceX, Elon Musk, trouxe uma atualização sobre o próximo teste da nave.

“Voo 5 em 4 semanas”, disse Musk. No começo do ano, o bilionário disse que pretendia lançar a Starship pelo menos seis vezes em 2024. Estamos agora nos aproximando da metade desse objetivo.

publicidade

O sucesso do voo anterior ajuda para acelerar o próximo teste. O primeiro voo da Starship ocorreu em abril de 2023, o segundo em novembro do ano passado, um intervalo de sete meses. O terceiro foi em março deste ano, cerca de 4 meses depois. O teste mais recente foi em junho, com menos de três meses de diferença para o anterior.

A velocidade entre os lançamentos aumenta na medida em que os voos são bem-sucedidos. Na última vez, a investigação da Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA) foi bem mais rápida do que as anteriores (na primeira vez foram sete meses até a SpaceX conseguir uma nova autorização). Dessa vez, como tudo saiu como o planejado, não vai haver investigação, então tudo depende apenas do planejamento da própria SpaceX.

publicidade

Leia mais:

Tudo sobre o maior foguete do mundo

O complexo veicular de 120 metros de altura formado pelo propulsor Super Heavy e a espaçonave Starship, que dá nome ao conjunto, vai decolar da Starbase, instalação de lançamento da SpaceX em Boca Chica, sul do Texas.

publicidade
SpaceX divulga imagens dos protótipos dos estágios do foguete Starship que vão voar no terceiro lançamento do veículo. Crédito: SpaceX

O primeiro estágio do foguete é alimentado por 33 motores Raptor, e o estágio superior Starship por seis. Segundo a SpaceX, o veículo foi projetado para ser totalmente reutilizável e voar para destinos como a Lua, Marte ou além. 

A NASA escolheu a Starship para pousar os astronautas da missão Artemis 3 na Lua no final de 2026. Mas, antes que isso aconteça, o megafoguete precisa chegar ao espaço e provar que pode reentrar com segurança. E é disso que se trata o voo nº4.