Revezamento tocha 2020

Olimpíada de Tóquio não será cancelada por conta do coronavírus

Renato Mota, editado por Cesar Schaeffer 26/02/2020 12h02
Compartilhe com seus seguidores
A A A

Revezamento da tocha terá início no dia 26 de março e tem previsão de passar por 859 municípios japoneses

O comitê organizador das Olimpíadas de Tóquio está considerando a possibilidade de reduzir o revezamento da tocha olímpica para evitar a propagação do coronavírus. De acordo com o CEO do evento, Toshiro Muto, “reunir espectadores em grande número aumenta o risco de infecção. O reduzí-lo está entre as abordagens que podemos considerar”.


O evento em si, entretanto, bem como as próprias Olimpíadas, não estão ameaçados. "Não estamos considerando isso", disse Muto quando perguntado por repórteres sobre a possibilidade de cancelamento. As medidas políticas para garantir a segurança do evento serão publicadas na próxima semana.

Um porta-voz do governo japonês confirmou a posição do Comitê Olímpico Internacional, e explicou que os organizadores locais seguirão com o cronograma dos jogos. Yoshihide Suga reforçou que os organizadores contam com uma janela de três meses para decidir o destino das competições.

As Olimpíadas estão marcadas para começarem em 24 de julho, com 11 mil atletas de todas as partes do mundo. Os Jogos Paraolímpicos abrem em 25 de agosto, com 4,4 mil. O revezamento da tocha começará em 26 de março, na província de Fukushima, e passará por 859 municípios em 121 dias.

Uma força-tarefa do governo japonês se reuniu nesta quarta-feira (26), e o primeiro-ministro Shinzo Abe pediu aos organizadores que cancelassem ou adiassem grandes eventos esportivos ou culturais nas próximas duas semanas. "As próximas uma a duas semanas são extremamente importantes para a prevenção da escalada da infecção", disse Abe. "Pedimos aos organizadores que cancelem, adiem ou reduzam o tamanho de tais eventos".

O primeiro-ministro não nomeou eventos específicos, mas disse que estava falando sobre eventos nacionais que atraem grandes multidões.

Nesta terça (26), o ex-nadador canadense Dick Pound, ex-vice presidente do Comitê Olímpico Internacional, disse à Associated Press que as Olimpíadas poderiam ser canceladas, e que a decisão pode ser tomada até o fim de maio. "Você simplesmente não adia algo do tamanho e da escala das Olimpíadas". O porta-voz do governo japonês respondeu que que a opinião de Pound não reflete a visão oficial do COI, que afirmou repetidamente que não há planos de cancelar ou adiar os Jogos de Tóquio.

Até o momento, mais de 80 mil casos do Covid-19 já foram confirmados – inclusive o primeiro no Brasil. Mais de 2700 pessoas morreram vítima da doença. No Japão, são 170 casos confirmados e uma morte. Mas uma olimpíada movimenta atletas e comissões de inúmeros países - muitos dos quais já têm casos de infecção pelo novo coronavírus confirmados.

Via: Reuters/Time


Confira em tempo real a COVID-19 no Brasil:



Saúde Jogos Olímpicos Japão olimpíadas tóquio olimpíadas 2020 coronavirus
Compartilhe com seus seguidores
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você