Segurança

TikTok

Governo dos Estados Unidos abre investigação contra TikTok

Vinicius Szafran, editado por Cesar Schaeffer 01/11/2019 18h51
Compartilhe com seus seguidores
A A A

Crescimento na popularidade do app acontece em meio às tensões entre EUA e China; governo americano investiga censura por parte do TikTok

O governo dos Estados Unidos abriu uma investigação contra a aquisição do Musical.ly pela chinesa ByteDance, dona do TikTok. De acordo com fontes envolvidas no processo, a compra do aplicativo americano custou US$ 1 bilhão.


Apesar de a venda do aplicativo norte-americano Musical.ly ter acontecido há dois anos, o governo dos EUA vem aumentando a pressão nas últimas semanas sobre uma possível ameaça à segurança nacional causada pelo TikTok. A preocupação é com a censura de conteúdos políticos, ao mesmo tempo em que são levantados questionamentos sobre a forma que o app armazena os dados pessoais.

O TikTok vem aumentando sua popularidade entre os adolescentes americanos numa época de constantes tensões entre os dois países, acerca de comércio e tecnologia. Em torno de 60% dos 26,5 milhões de usuários ativos mensais do TikTok em solo americano são jovens entre 16 e 24 anos, de acordo com um levantamento feito pela própria empresa neste ano.

Reprodução

O Comitê de Investimento Estrangeiro dos Estados Unidos (CFIUS), que revisa negociações de compradores estrangeiros em busca de potenciais riscos à segurança nacional, começou a analisar o negócio envolvendo o Musical.ly. Segundo o CFIUS, o TikTok não buscou liberação do órgão para adquirir o app, o que abre margem para investigação.

O CFIUS está conversando com o TikTok sobre possíveis medidas a serem tomadas para evitar que a empresa tenha de devolver as ações compradas. Detalhes das conversas não foram revelados, assim como as preocupações do comitê. A investigação é confidencial.

"Não podemos comentar o processo, mas o TikTok deixou claro que não tem nada mais prioritário do que conquistar a confiança dos usuários e reguladores dos EUA. Parte dessa confiança inclui trabalhar junto com o Congresso e estamos comprometidos a fazer isso", falou um porta-voz do TikTok. A ByteDance não comentou o assunto, assim como o Departamento do Tesouro Nacional, líder do CFIUS.

Reprodução

Na semana passada, o senador e líder da oposição Chuck Schumer, juntamente com o senador Tom Cotton, pediram um inquérito sobre a segurança. Eles se disseram preocupados com a forma que a plataforma coleta os dados dos usuários, além dos conteúdos que o app censura no país. Eles também sugeriram que o TikTok poderia ser alvo para influenciar campanhas.

O aplicativo permite que o usuário grave e partilhe vídeos curtos com efeitos especiais. A empresa alega que dados de usuários americanos são armazenados nos EUA, mas os senadores notaram que a ByteDance é governada sob leis chinesas. 

Em outubro, o fundador do Musical.ly, Alex Zhu, passou a reportar diretamente ao CEO da ByteDance, Zhang Yiming. Não se sabe ainda se essa mudança se deve à investigação feita pelo CFIUS. Até mesmo Mark Zuckerberg questionou as políticas adotadas pelo aplicativo.

Os Estados Unidos vêm intensificando cada vez mais as restrições a desenvolvedores de apps sobre a segurança das informações que eles armazenam, especialmente se envolver a área militar ou de inteligência.

Segurança Música Governo China Banco de Dados cibersegurança cybersegurança estados unidos EUA adolescentes Musica.ly tiktok tiktok eua x china armazenamento de dados segurança pública músicas Senado CEO Dados proteção de dados segurança cibernética coleta de dados
Compartilhe com seus seguidores
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você