EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Viralizaram na internet vídeos de manifestantes chilenos usando feixes de luz verde para derrubar drones policiais e despistar a força armada. O uso de lasers de luz simples está sendo usado em atos ao redor de todo o mundo para resistir as repressões, como aconteceu em Hong Kong, para os manifestantes se protegerem do reconhecimento facial e outras práticas de vigilância.

Foto: AP

publicidade

Os chilenos estão protestando há um mês, desde que o presidente Sebastián Piñera anunciou um aumento no preço do transporte público. Logo que os atos começaram, eles foram duramente repreendidos pelas forças armadas: 23 pessoas já morreram nas manifestações e mais de 200 pessoas estão cegas (parcialmente ou totalmente) por balas de borracha e esferas de chumbo usadas pelos policiais contra a população. Com o passar do mês, o tom das ruas deixou de ser apenas contra a tarifa do transporte e tornou-se uma grande reinvindicação popular contra o baixo salário e a desigualdade no país e a favor de reformas sociais.

Diante deste cenário, viralizou na quarta-feira passada (13) um vídeo de manifestantes apontando canetas de laser contra drones da polícia na tentativa de derrubá-lo. No vídeo, é possível ver que cada vez mais lasers tentam alvejar drones, fazendo-o perder o controle e cair no meio dos manifestantes.

Segundo Christopher Williams, CEO da Citadel Defense Company, um grupo de segurança particular especializado em tecnologia anti-drones, o drone pode ser derrubado de duas maneiras.

A primeira ocorre caso ele esteja sendo pilotado manualmente por um operador assistindo um vídeo. Neste caso, as luzes brilhantes poderiam “cegar” a câmera e fazer o operador perder o controle e deixar o drone cair. A segunda opção seria que os “lasers de baixa potência têm a capacidade de interferir os sensores de aterrissagem [infravermelho]”, bem como as câmeras voltadas para baixo que detectam obstáculos externos, “forçando um comportamento de pouso descontrolado”, afirmou Williams.

Foto: AP

Os usuários no Reddit levantam ainda a possibilidade de que o calor gerado pela quantidade de feixes de luz, concentrados em um só ponto, poderia ter queimado os circuitos internos do drone. Na visão de Williams, essa possibilidade é pouco provável.

Chilean protesters take down a police drone with lasers! from r/nextfuckinglevel

O uso de lasers não se reestringe apenas contra drones. Em outros vídeos, também publicados em redes sociais, é possível ver a população usando a mesma tática contra oficiais da polícia, despistando-os e impedindo-os de atacar com balas de borracha e outras formas de repressão. Em um terceiro vídeo, os protestantes se defendem de um helicóptero da polícia fazendo uma “barreira” de lasers verdes.

Nos comentários que acompanham os vídeos, os manifestantes são saudados e chamados de “cyberpunks”.

 

Via: Next Gov