EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Autoridades chinesas confirmam que o vírus misterioso, surgido no país recentemente, é contagioso, e pode ser transmitido entre pessoas. A preocupação aumenta na mesma proporção do número de casos confirmados até o momento – eles chegam a 198 apenas na cidade de Wuhan.

Zhong Nanshan, especialista em doenças respiratórias, que lidera a investigação do governo chinês sobre o vírus, confirmou à mídia estatal que as pessoas expostas aos pacientes infectados começaram a ficar doentes.

publicidade

Isso representa uma verdadeira ameaça, já que uma doença, que pode se espalhar através do contato humano, é muito mais difícil de conter e parar, como evidenciado pelo crescente número de casos.

Reprodução

publicidade

Médicos inspecionam aviões que deixam a China – Foto: Futurism

“O recente surto de nova pneumonia por coronavírus em Wuhan e em outros lugares, deve ser levado a sério”, disse o presidente Xi Jinping em declaração transmitida na TV estatal. “Comitês do partido, governos e departamentos relevantes em todos os níveis devem colocar a vida e a saúde das pessoas em primeiro lugar”.

Até recentemente, todos os casos registrados da doença – chamada de 2019-nCoV – podiam ser rastreados até um mercado de frutos do mar em Wuhan, China. Na época, não havia relatos de transmissão entre seres humanos, por esse motivo, alguns especialistas esperavam que o vírus fosse facilmente contido.

Até agora, seis pessoas morreram na cidade como resultado. Entretanto, o vírus não está restrito apenas à China. Há casos registrados na Coreia do Sul, Tailândia e Taiwan. Nesta terça-feira (21), os Estados Unidos também registraram o primeiro caso da doença.

Dentre os infectados estão familiares de pacientes ou profissionais de saúde que tratavam quem tinha o vírus. 

“A fonte do novo tipo de coronavírus não foi encontrada, não entendemos completamente como o vírus é transmitido. As mutações que podem ocorrer ainda precisam ser monitoradas de perto”, descreve uma declaração da Comissão Nacional de Saúde da China.

Via: Futurism