Neste domingo (8), os governos brasileiro e norte-americano assinaram um acordo para o desenvolvimento de projetos de defesa no futuro. O chamado Acordo de Pesquisa, Desenvolvimento, Teste e Avaliação (RDT&E) prevê a abertura de caminhos para aperfeiçoar e criar tecnologias no campo militar.

Com a assinatura do acordo, o governo do Brasil espera facilitar o acesso ao mercado norte-americano em questões de defesa. Além disso, a ideia é viabilizar a entrada de produtos brasileiros em 28 países que fazem parte da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) – aliança militar intragovernamental que o Brasil não faz parte, mas que, de acordo com os EUA, é um aliado preferencial fora dela.

publicidade

O documento foi assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, pelo Tenente-Brigadeiro Botelho, e pelo Almirante de Esquadra Craig Feller, durante cerimônia realizada no Comando Sul, na Flórida. O local é responsável por coordenar ações militares no Caribe, América do Sul e América Central. Segundo o Comando, é a primeira vez que um presidente brasileiro visita a unidade militar.

Segundo um funcionário anônimo do governo Trump, embora Bolsonaro busque cooperações mais estreitas com os Estados Unidos nos campos de defesa e inteligência, as decisões do Brasil sobre o 5G – e a presença da Huawei na implementação da tecnologia por aqui – são vistas como um obstáculo em potencial para o firmamento de acordos mais estreitos.

Via: Reuters/ Agência Brasil