EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Em resposta à rival Moderna, que anunciou na segunda-feira (31) que está se movimentando para pedir permissão aos EUA e Reino Unido para aplicar sua vacina contra a Covid-19, a Pfizer, em parceria com a BioNTech, divulgou nesta terça-feira (1º) que também buscará a autorização para iniciar a vacinação contra a doença com sua dose.

O pedido foi feito junto à Agência Europeia de Medicamentos (EMA) e tem como foco o registro do imunizante, bem como o uso emergencial da vacina.

publicidade

Os trâmites com a Agência começaram em 6 de outubro, sendo que em 20 de novembro as desenvolvedoras solicitaram a aprovação da dose também nos Estados Unidos. Sendo assim, com o pedido para a aplicação da vacina, o processo de revisão pode ser considerado concluído.

Cabe destacar que, segundo a Pfizer e a alemã BioNTech, a vacina apresentou eficácia de 95% em testes clínicos e 94% em casos de pessoas com idades consideradas mais vulneráveis, como idosos.

Pfizer e BioNTech pediram autorização na UE para aplicação da dose ainda neste ano. Créditos: Giovanni Cancemi/Shutterstock

A intenção é que a dose denominada como BNT162b2 já comece a ser utilizada em 2020, se aprovada. A empresa espera uma audiência pública em 11 de dezembro sobre o pedido. Cabe destacar que a Pfizer também promoveu apresentações referentes à dose em outros países, como Austrália, Canadá e Japão.

Vacina da Moderna

publicidade

Enquanto isso, a Moderna confirmou a eficácia de 94,1% de sua vacina contra a Covid-19. Por isso, o próximo passo é conseguir autorização emergencial da aplicação do imunizante nos EUA Reino Unido. Se aprovada, a intenção é imunizar primeiro os profissionais de saúde.

Os resultados também mostraram 100% de eficácia no combate a casos mais graves da doenças. Vale ainda lembrar que os testes foram positivos para todas as idades e etnias envolvidas nos experimentos. Mais de 30 mil pessoas participaram desta etapa do processo.

Via: Medical Xpress