EnglishPortugueseSpanish

A última semana tem sido trágica para o mundo, mas principalmente, para os Estados Unidos e o Reino Unido. Mesmo tendo iniciado suas campanhas de vacinação em massa contra o coronavírus, ambos os países registraram recordes diários de mortes por Covid-19. Além disso, os contágios e óbitos decorrentes do Sars-CoV-2 têm aumentado consideravelmente em demais países.

Ainda sendo o país mais afetado do mundo pelo vírus, os Estados Unidos contabilizaram, na terça-feira (12), 4.470 óbitos pelo coronavírus, registrando um novo recorde diário de mortes.

publicidade

Os números poderiam ser ainda piores, não fossem as 10,2 milhões de doses de vacinas administradas que possibilitaram a imunização de 3,1% da população total dos EUA, segundo dados dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) americanos.

Estados Unidos seguem como o país com mais infectados e mortos pelo coronavírus. Foto: 4X-image/iStock

Outro país que já iniciou a imunização em massa contra a Covid-19 mas voltou a apresentar números inéditos de óbitos foi o Reino Unido. A nação registrou 1.564 mortes na última quarta-feira (13).

Não à toa, a Inglaterra adotou seu terceiro lockdown, paralisando escolas e mantendo a população em suas casas. Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte tomaram medidas semelhantes.

O fato também acelerou o desejo do Reino Unido iniciar campanhas de vacinação de 24 horas o quanto antes.

Medidas protetivas contra Covid-19

Os números globais também são preocupantes. O mundo já contabiliza mais de 93 milhões de infectados e as mortes se aproximam da marca de 2 milhões, levando países a intensificarem suas medidas protetivas.

Nesta sexta-feira (15), Portugal avisou que entrará em lockdown, enquanto o Japão anunciou uma ampliação de seu estado de emergência para sete novas regiões.

Fachada de loja no Japão
Japão vai ampliar medidas protetivas contra o coronavírus para novas regiões no país. Foto: DPeterson/Shutterstock

Na Suíça, apenas serviços essenciais estão em funcionamento. A Noruega quer impor exames obrigatórios nas fronteiras de seu território e a Dinamarca estendeu suas medidas de isolamento até 7 de fevereiro.

Após apresentar vários focos de Covid-19 nos últimos dias, a China também impôs novas restrições de deslocamento no país.

Corrida pela imunização

A escalada do número de infectados e óbitos pela Covid-19 também está provocando uma corrida pela imunização em massa dos países.

Na quarta-feira (13), a Indonésia iniciou a campanha de vacinação no país com a CoronaVac. O mesmo imunizante deverá ser disponibilizado para os estados do Brasil no dia 20 de janeiro, iniciando a vacinação em massa no país.

Ministro de Saúde brasileiro
Eduardo Pazuello, ministro da Saúde do Brasil, informou que a vacinação terá início na próxima quarta-feira (20). Foto: José Dias/PR

Na Rússia, a imunização em massa com a Sputinik V deve acontecer a partir da próxima semana.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 28 milhões de doses de vacina já foram administradas no mundo.

Ainda assim, o órgão acredita que os esforços não serão suficientes para garantir a imunidade coletiva da população mundial em 2021.

Via: Uol