EnglishPortugueseSpanish

Elon Musk lançou um desafio nesta semana: US$ 100 milhões para quem projetar uma tecnologia eficaz de captura de carbono. Mais detalhes de como funcionará esse concurso, segundo o empresário, serão divulgados na semana que vem.

O CEO da Tesla e da SpaceX tornou-se recentemente o homem mais rico do mundo (e depois deixou de ser) e prometeu que doaria metade da sua fortuna. Nas redes sociais, ele pediu sugestões aos seus seguidores, e o projeto de sustentabilidade parece ser uma delas.

“O feedback da crítica é sempre muito apreciado, assim como as formas de doar dinheiro que realmente façam a diferença (muito mais difícil do que parece)”, tuitou Musk no início do mês. Desde 2012 o bilionário sul-africano faz parte do Giving Pledge, uma iniciativa lançada por Bill Gates e Warren Buffett que pede aos signatários que doem pelo menos metade de sua riqueza durante a vida.

O foco de Musk desde então tem sido o financiamento do ensino de ciências e engenharia, pesquisas de energia renovável, medicina pediátrica e pesquisas em exploração espacial. Mas uma estimativa da Forbes em setembro do ano passado revelou que ele havia doado apenas US$ 100 milhões – menos de 1% de seu patrimônio líquido.

O concurso de projetos de captura de carbono de Elon Musk dobraria esse número, além de contribuir com um tema que deve crescer em relevância nos próximos anos. Um estudo publicado na Scientific Reports em novembro concluiu que empresas e governos precisavam urgentemente “começar a desenvolver tecnologias para a remoção em larga escala de gases de efeito estufa da atmosfera”.

publicidade

De acordo com o estudo, pelo menos 33 bilhões de toneladas de dióxido de carbono precisariam ser tiradas da atmosfera a cada ano até 2100 para que se possa cumprir a meta do Acordo de Paris. Esse número é aproximadamente a quantidade total de dióxido de carbono emitido pela indústria do combustível fóssil em 2018, que foi de 36  bilhões de toneladas.

Via: Business Insider