Após o bloqueio da marca nos EUA, a chinesa Huawei revelou o seu próprio sistema operacional em 2019 como alternativa ao Android. O software, batizado como HarmonyOS (ou Hongmeng OS), já é executado em alguns produtos da empresa, como algumas smart TVs e relógios inteligentes. Agora, parece que a novidade está pronta para chegar aos smartphones.

Segundo o portal GSMArena, uma conta do microblog chinês Weibo deixou escapar que o Huawei P50 completou o período de testes de execução do sistema.

publicidade
Postagem no Weibo revela que o HarmonyOS virá instalado na próxima linha de celulares topo de linha da Huawei. Imagem: Gizchina/Reprodução

Vale ressaltar que o próximo carro-chefe da marca não é o primeiro dispositivo da Huawei capaz de rodar o HarmonyOS. No entanto, é o primeiro smartphone da companhia que deve dispensar de vez o Android, vindo de fábrica com o software proprietário pré-instalado.

Recursos do Harmony OS 2.0

Huawei P50 será a primeira linha de celulares da marca chinesa sem o Android. Imagem: Gizchina/Reprodução

Em dezembro do ano passado, a Huawei liberou a primeira versão do HarmonyOS 2.0 para desenvolvedores. A versão beta, inclusive, já estava disponível para alguns dispositivos, como o Huawei P40, Mate 30 e o tablet MatePad Pro. O P50, flagship da empresa para 2021 e outros aparelhos da marca compatíveis com a novidade começam a receber o primeiro pacote de atualização do software em abril. O software traz, entre as novidades:

  • Novos controles de interface de usuário
  • Ferramentas de desenvolvimento para Windows e Mac, algo conveniente para os desenvolvedores apresentarem aplicativos para a plataforma
  • Mais de 40 códigos de amostra para que os programadores entendam e adaptem as interfaces e métodos de desenvolvimento do HarmonyOS
  • Recursos padronizados de gerenciamento de dados, com sincronização em tempo real entre os dispositivos

Já em janeiro deste ano, Wang Chenglu, presidente do departamento de software da Huawei, apresentou o progresso do desenvolvimento do HarmonyOS. Uma das inovações mais importantes do sistema, segundo o executivo, é sua capacidade diferenciada de conexão sem fio, que dispensa o uso de hardware. Por fim, Wang aponta que a novidade será instalada em até 400 milhões de dispositivos ainda em 2021.

Via: Gizchina, GSMArena