EnglishPortugueseSpanish

A Nasa testou nesta quinta-feira (18) um núcleo central do Space Launch System (SLS), foguete que irá levar astronautas à Lua nas missões do programa Artemis. O teste foi realizado com sucesso no Centro Espacial Stennis, no Mississippi, e teve início por volta as 16h40 (horário de Brasília).

O teste “a quente” (Hot Fire) é chamado de “Green Run”, porque é a primeira vez que um hardware não testado (“verde”, daí o Green) é colocado para funcionar. Os quatro propulsores principais do SLS foram acionados durante oito minutos (499,6 segundos), tempo que seria necessário em uma missão real para colocar uma espaçonave em órbita.

publicidade

O Olhar Digital transmitiu o teste em suas redes sociais. Veja como foi:

“Os quatro motores RS-25 acenderam com sucesso e produziram 1,6 milhão de libras de empuxo, conforme farão para lançar a missão Artemis I à Lua. Durante o teste, os motores consumiram mais de 700.000 galões de oxigênio líquido e propelente de hidrogênio líquido”, informou uma nota publicada no site da Nasa.

Etapas do teste do foguete SLS. Créditos: Nasa
Etapas do teste do foguete SLS. Créditos: Nasa

O teste foi realizado com o estágio central que lançará a primeira missão Artemis. Durante os 8 minutos firmemente ancorado a uma plataforma de testes e telemetria, os engenheiros coletaram dados sobre como o estágio se comportou durante operações críticas, como acelerar os motores para cima e para baixo e mover os motores dinamicamente em uma variedade de padrões.

Somente nos próximos dias os engenheiros examinarão os dados e determinarão se o foguete está pronto para ser lançado em um novo teste em novembro deste ano, quando o foguete lançará uma cápsula não-tripulada ao redor da Lua na missão Artemis I.

Leia também!

Teste anterior do SLS foi interrompido antes do final

O primeiro teste do estágio central do SLS, em 18 de janeiro, foi interrompido aos 67 segundos. Segundo a Nasa o desligamento foi causado não por uma falha mecânica, mas por “parâmetros de teste propositalmente conservadores, que foram definidos para garantir a segurança do núcleo do foguete durante o teste”.

Os parâmetros em questão são relacionados ao sistema hidráulico, que move os propulsores para mudar a direção do foguete durante o voo. A agência garante que se o mesmo problema ocorresse durante uma missão real, o SLS seria capaz de completá-la sem problemas.

Durante o teste o foguete também registrou um erro conhecido como “Major Component Failure” (MCF, Falha em Componente Principal) que ocorreu 1,5 segundos após o acionamento dos motores. Mas segundo oficiais da Nasa, este erro não contribuiu para o desligamento e pode ser apenas uma falha de instrumentação no motor número 4.

Apesar da falha em um dos motores, a Nasa classificou o teste como relativamente positivo. “O teste de sábado foi um passo importante para garantir que o estágio central do foguete SLS esteja pronto para a missão Artemis I e para transportar a tripulação em missões futuras. […] a equipe trabalhou com sucesso durante a contagem regressiva, acendeu os motores e obteve dados valiosos”, explicou Jim Bridenstine, administrador da Nasa na época.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!