A fase emergencial, em vigor em todo o Estado de São Paulo desde segunda-feira da semana passada (15) para conter o espalhamento do novo coronavírus, foi prorrogada por mais 15 dias e vai agora até 11 de abril. Isso significa que todos os serviços não essenciais vão ficar fechados por mais esse período.

A medida foi necessária porque São Paulo, assim como todo o Brasil, passa pelo pior momento da pandemia desde a chegada do novo coronavírus ao país. Atualmente, o índice de ocupação de unidades de terapia intensiva (UTIs) já está próximo de 92%.

publicidade

Para os especialistas do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo a restrição de circulação de pessoas é essencial para a redução da disseminação do novo coronavírus e dos novos casos de Covid-19. A prorrogação da restrição busca chegar ao resultado necessário.

Superferiado de dez dias

Nesta sexta-feira (26), a capital paulista começa um superferiado de dez dias: o prefeito Bruno Covas antecipou feriados municipais antecipados para diminuir a necessidade de as pessoas saírem de casa. Outras localidades pelo Brasil, como a região do Grande ABC e o Rio de Janeiro, tomaram medidas semelhantes.

Atenta a uma possível visita de milhares de turistas nesse período, os prefeitos das cidades da Baixada Santista iniciaram um lockdown na terça-feira (23). Rogério Santos, prefeito de Santos, teme o afluxo de turistas. “Pessoas de outras regiões: não venham para a Baixada Santista!”, apela.

Além disso, a equipe do governo do Estado de São Paulo anunciou a antecipação da vacinação contra a Covid-19 de idosos com 68 anos. A aplicação começa em 5 de abril.