EnglishPortugueseSpanish

No último sábado (3), o cantor Agnaldo Timóteo morreu de Covid-19. Na internet, muitos comentaram o fato de que o artista já tinha sido vacinado com as duas doses. Mas será que dá para pegar o coronavírus mesmo depois de tomar a vacina?

No caso de Agnaldo, o músico deu entrada no hospital no dia 17 de março, dois dias depois de ter tomado a segunda dose. Não tinha passado, portanto, o prazo dado pelos especialistas para o efeito total do imunizante. É possível, ainda, que ele já tivesse contraído a Covid-19 quando recebeu a segunda dose.

publicidade

De qualquer forma, é correto afirmar que nenhuma vacina previne 100% as chances da pessoa pegar coronavírus. O imunizante serve para prevenir os casos mais graves, ou seja, se a pessoa contrair o vírus, ela deverá sentir apenas sintomas mais leves.

Dá para pegar coronavírus mesmo depois de tomar vacina?

Todo tipo de imunizante leva um tempo para fazer efeito e a segunda dose é para reforçar. No caso da Covid-19, Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos, disse que a imunidade se dá após 10 dias da segunda aplicação. Mas esse tempo também deve mudar de acordo com cada vacina.

A Astrazeneca, por exemplo, recentemente mudou os resultados da análise inicial e concluiu que 76% dos que recebem a vacina ficam com uma probabilidade muito baixa de contrair qualquer sintoma. “Um extremo secundário chave, na prevenção de doenças graves ou críticas e hospitalização, demonstrou eficácia de 100%. Foram oito casos de Covid-19 grave observados na análise primária com todos do grupo de placebo”, explicou a farmacêutica.

Leia também: 

Na Itália foi dada uma explicação um pouco mais detalhada sobre os efeitos da vacina após um médico de Siracusa testar positivo para a doença, mesmo após ter tomado as duas doses.

“Em artigos científicos é claramente relatado que, mesmo em estudos clínicos, as pessoas foram infectadas após a primeira dose precisamente porque a resposta imunológica ainda não é completamente protetora. Só se torna assim após a segunda dose. Esse é um dos motivos para não abandonarmos o comportamento responsável após a vacinação”, disse Franco Locatelli, presidente do Conselho Superior de Saúde da Itália, em entrevista coletiva.

Pelo fato da vacina não evitar 100% que as pessoas peguem a Covid-19, é importante que, mesmo depois de tomá-la, as pessoas mantenham as medidas de isolamento social e o uso de máscara.

Para aliviar as restrições, segundo os especialistas, é necessário uma redução muito drástica no número de mortes de uma porcentagem alta de vacinados.

Para saber mais sobre a produção da CoronaVac, leia o especial do Olhar Digital.