EnglishPortugueseSpanish

A cápsula Orion, que está sendo construída pela Lockheed Martin e será usada pela Nasa durante as missões tripuladas à Lua no programa Artemis, passou por um teste crucial nesta terça-feira (6): um mergulho em uma piscina.

Suspensa por um guindaste sobre a “Hydro Impact Basin”, uma piscina de testes no Centro de Pesquisas Langley, no estado norte-americano da Virgínia, a cápsula foi solta de uma altura de dois metros. O objetivo é testar como a espaçonave reage durante um pouso na água, algo que será feito no retorno dos astronautas à Terra.

publicidade

Para isso, mais de 500 sensores foram instalados na cápsula, “para medir as forças que estão agindo no artigo de teste durante o impacto”, disse Jacob Putnam, analisa de dados em Langley.

“Não dá para ser melhor que isso. Parece que foi uma soltura perfeita, e parece que a cápsula se comportou como esperado”, disse Putnam após o teste.

“As forças irão nos dizer muito sobre riscos à estrutura da cápsula ou de quaisquer componentes dentro dela, e o movimento da cápsula pela água vai nos dizer muito sobre o que os ocupantes dentro dela irão experimentar”, completou.

“Com este teste estamos nos certificando de que futuras cápsulas Orion, bem como os astronautas a bordo, estejam seguros durante pousos futuros”, disse o analista. O teste desta terça-feira foi apenas um de uma série que se iniciou em 23 de março, para “finalizar modelos de computador de cargas e estruturas antes do teste de voo da Artemis II, a primeira missão com a tripulação a bordo da Orion”. 

Leia mais:

Os próximos testes

Em uma missão real a cápsula usará paraquedas para reduzir sua velocidade de descida após a reentrada na atmosfera, pousando no oceano. É a mesma estratégia usada anteriormente pela Nasa nas missões dos programas tripulados Mercury e Apollo, e também pela SpaceX com a Crew Dragon. China e Rússia, outros países com programas tripulados, preferem pousos em terra firme, geralmente em regiões desérticas dentro de seus territórios.

A cápsula ainda passará por mais dois testes, sendo uma queda a partir de uma altitude maior e um “teste de pêndulo”, quando será lançada a partir de um ângulo, fazendo um movimento de pêndulo antes de colidir com a água “de lado”. 

A primeira missão do programa Artemis será a Artemis I, programada para o final deste ano, quando uma cápsula Orion não tripulada será lançada por um foguete SLS em uma viagem ao redor da Lua e de volta à Terra. A cápsula que será usada nesta missão está sendo preparada na Flórida desde março de 2020.

Fonte: Space.com