EnglishPortugueseSpanish

Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Jinan (China), da Universidade do Colorado em Boulder (EUA), da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA) dos Estados Unidos e do Centro Nacional de Pesquisa Atmosférica dos Estados Unidos encontrou evidências de que os grandes incêndios florestais que ocorreram em partes da Austrália do final de 2019 ao início de 2020 produziram tantas partículas de fumaça que aumentaram a temperatura da estratosfera na região por aproximadamente seis meses.

A estratosfera fica a aproximadamente 10 a 50 quilômetros da superfície da Terra, e é a parte da atmosfera que contém a camada de ozônio. Pesquisas anteriores mostraram que, em alguns casos, a fumaça pode resfriar a atmosfera ao bloquear o calor do sol.

publicidade

Leia mais:

Mas em outros casos, o oposto pode ocorrer. Se a fumaça contém grandes quantidades de material particulado e este é preto, ela pode absorver o calor da luz solar e transmiti-lo ao ar ao seu redor.

Para calcular quanto calor foi absorvido pela estratosfera, os pesquisadores inseriram os dados dos incêndios no modelo comunitário de aerossol e radiação para atmosferas e no modelo do sistema terrestre comunitário. Ambos foram capazes de fazer previsões sobre quanto calor foi aprisionado pelas partículas e o impacto que isso teria sobre a temperatura da estratosfera na região.

Eles descobriram que a temperatura da estratosfera aumentou de 1 a 2 °C na região e permaneceu assim por aproximadamente seis meses. Eles também notaram que as partículas de fumaça aumentaram temporariamente o tamanho do buraco na camada de ozônio.

Grande nuvem de fumaça produzida pelo incêndio na Austrália, fotografada pelo astronauta italiano Luca Partmitano (@astro_luca) e divulgada no Twitter
Grande nuvem de fumaça sobre a Austrália, fotografada pelo astronauta italiano Luca Partmitano (@astro_luca) e divulgada no Twitter.

Além de modificar o clima local, os incêndios florestais na Austrália destruíram árvores, arbustos e casas cobrindo aproximadamente 14 milhões de acres, e mataram 20 pessoas.

Os incêndios eram tão grandes que a fumaça podia ser vista pelos astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional. O governo da Austrália calculou os custos das chamas em aproximadamente US$ 103 bilhões (R$ 585,3 bilhões).

Fonte: Phys.org