Ao que tudo indica, a mudança para ‘Voltswagen’ não era tão mentira… isso porque o Grupo Volkswagen (VW) anunciou que está expandindo significativamente sua produção de sistemas de bateria na fábrica em Braunschweig, no centro-norte da Alemanha. A montadora quer, por ano, 600 mil componentes para carros elétricos.

O projeto de expansão prevê que a produção irá dobrar, segundo o grupo. Quando totalmente implantada, a fábrica será capaz de produzir 500 mil sistemas de bateria MEB (plataforma modular exclusiva para carros elétricos da montadora) por ano. Além disso, o local também será capaz de produzir mais 100 mil unidades adicionais para modelos de plataforma não-MEB, incluindo para veículos híbridos.

publicidade
Uma análise dos componentes da bateria da plataforma MEB da Volkswagen. Imagem: Divulgação
Uma análise dos componentes da bateria da plataforma MEB da Volkswagen. Imagem: Divulgação

O plano da Volkwsagen é ambicioso, ainda mais se analisarmos que atual produção anual de baterias não supera 250 mil componentes. E ainda conforme os alemães à imprensa, os sistemas produzidos em Braunschweig terão capacidades de 45, 52 e 77 kWh (para os modelos MEB).

“A forte demanda por modelos elétricos atraentes e acessíveis baseados na matriz de acionamento elétrico modular faz com que as linhas do primeiro estágio de expansão trabalhem em plena capacidade, por isso iniciamos a próxima etapa (…) Dentro disso, graças à sua competência de desenvolvimento e fabricação de sistemas de bateria, a unidade de Braunschweig recebeu um papel fundamental”, explicou o membro do Conselho de Administração do Grupo para Tecnologia, Thomas Schmall.

Além dos sistemas de bateria, a fábrica em Braunschweig também continuará a produzir sistemas de direção, discos de freio, amortecedores de suspensão, caixas de rolamentos de roda, acionamentos de roda e chassis auxiliares, além de eixos dianteiro e traseiro.

Leia mais:

A alta na produção é resultado de um investimento recente, no valor de €$ 300 milhões (cerca de R$ 2 bilhões). Contudo, o Grupo VW irá apenas produzir sistemas de baterias e não células, que é onde reside a tecnologia que pode fazer a diferença em matéria de eficiência, custos e autonomia para um veículo elétrico.

E mais: a Volkswagen anunciou ainda que entregará, somente em 2021, 450 mil carros elétricos. E até 2022, a marca quer fazer a transição de todos os seus EVs baseados em MEB para suportar carregamento bidirecional – sistema que permite que a energia tanto seja transmitida da rede para o veículo elétrico como vice-versa.

Fonte: Electrek

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!