A chegada da primavera no hemisfério norte (que começa em março e vai até junho) marca a publicação das projeções meteorológicas sobre a próxima temporada de furacões em países como os Estados Unidos. A novidade deste ano é um novo modelo meteorológico desenvolvido por pesquisadores da Universidade Estadual da Carolina do Norte, que incorpora o ‘machine learning‘ (aprendizado de máquina) para apresentar previsões de longo prazo mais precisas.

O novo modelo foi validado com sucesso em janelas de tempo de até um ano e meio de antecedência, comparando com dados de sete temporadas diferentes de furacões. Os resultados iniciais foram promissores. Para todas as previsões, a solução inteligente demonstrou precisão comparável ou superior aos modelos atuais.

publicidade

Leia mais:

De modo geral, as previsões de furacões são feitas baseadas em dados como a pressão no nível do mar e a temperatura da superfície do oceano. No entanto, a previsão tradicional avalia apenas um local por vez e períodos específicos de tempo.

O professor de ciências marinhas terrestres e atmosféricas, Lian Xie, disse que o seu novo modelo se difere por conseguir analisar os dados de vários lugares simultaneamente. Segundo Xie, algo que representa um “importante componente” para a previsão de longo alcance. Já Hamid Krim, professor de engenharia elétrica e de computação, declarou que saber o que acontece em pontos diferentes trará aos meteorologistas “uma imagem mais precisa da dinâmica de um sistema de furacões”.

Como funciona a previsão inteligente de furacões?

Visão geral de três furacões: Irma, José e Katia
Furacões Irma, José e Katia no Mar do Caribe e no Oceano Atlântico.
Imagem: lavizzara/Shutterstock

O novo modelo incorpora dados históricos de eventos meteorológicos (como El Niño e La Niña) e informações de vários locais em linhas do tempo diferentes. Os pesquisadores pretendem cruzar as informações e usar a previsão inteligente para assimilar qual será a energia acumulada de um próximo ciclone (índice representado pela sigla ECA). Algo que também vai auxiliar a prever o quão ativa será uma próxima temporada de furacões.

O ECA é calculado conforme a quantidade de energia cinética que cada furacão tem do início ao fim durante uma temporada. A soma de toda essa energia representa o índice de energia acumulada dos ciclones. Uma temporada ativa, por exemplo, terá consequentemente um ECA mais alto.

Vale destacar que na temporada de tempestades deste ano os especialistas já planejam combinar a previsão tradicional com o novo modelo mais avançado.

Fonte: Phys.org