Em um esforço para diminuir a toxicidade de sua comunidade online, a Activision, desenvolvedora do ‘Call of Duty’, está aumentando os esforços contra o racismo e o bullying dentro do jogo. Esse comportamento já vem desde a era do Xbox 360 e é algo enraizado na base de jogadores da franquia e uma barreira para a entrada de mulheres e minorias no jogo.

Um dos primeiros esforços foi a demissão de Jeff Leach, um dos atores da franquia, por conta de comentários preconceituosos dirigidos a outros membros da comunidade.

publicidade
Activision afasta Jeff Leach, ator de Call of Duty, depois de comentários sexistas. Imagem: Montagem/Screenrant
Jeff Leach fez comentários considerados sexistas. Imagem: Montagem/Screenrant

Leach havia desempenhado o papel de Ghost e era esperado para um personagem maior na sequência Modern Warfare. Apesar de ter pedido desculpas publicamente por seus atos, é provável que a Activision não retome os laços com o ator.

Mais que discurso

E a política de “tolerância zero” da desenvolvedora deve não só continuar, como ser amplificada. No site oficial de ‘Call of Duty’, foi divulgado um comunicado que informa o banimento de mais de 350 mil jogadores por nomes de usuários com termos racistas, comportamento tóxico no chat ou outras formas de bullying. Além disso, outros 500 mil jogadores foram banidos por diferentes formas de trapaça.

Leia mais:

“Sabemos que temos um longo caminho a percorrer para alcançar nossos objetivos. Este é apenas o começo”, declarou um porta-voz da Actvision ao Screen Rant. A preocupação da Activision em relação à toxicidade de sua comunidade parece ter aumentado após os protestos do movimento Black Lives Matter no ano passado. Na época, a tela de carregamento do jogo chegou a exibir uma mensagem de apoio ao movimento.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!