As mulheres ocupam apenas 9% das vagas de CEOs e 25% da força de trabalho na área de tecnologia da informação (TI), mesmo comprovando habilidades para o cargo.

É o que mostra o relatório feito pela Unlocking Women’s Leadership Through STEM Skills Programmes, do Boston Consulting Group (BCG), em parceria com o Fórum das Mulheres para a Economia e Sociedade.

publicidade

A pesquisa trabalhou com o espaço amostral de 10 mil pessoas que integram ou não a área de STEM (do inglês science, technology, engineering, and math), entre mulheres e homens, espalhados por diversos países que compõem o G20, o grupo das 20 nações mais ricas do mundo.

mulheres na ti
Os gráficos mostram que quase 50% das mulheres ainda enxergam obstáculos para diversidade de gênero nas companhias em que trabalham. Fonte: BCG.COM

Um montante entre 45% e 47% das mulheres entrevistadas afirmaram que encontram obstáculos em decorrência da diversidade de gênero nos locais em que trabalham. Os indicadores são ainda maiores em países como China e Índia, onde mais de dois terços das mulheres dizem enxergar essas barreiras.

Os pesquisadores também descobriram que as mulheres sofrem limitações em todos os estágios do crescimento profissional, desde o recrutamento, passando pela retenção e promoção, até chegar aos cargos de liderança.

O estudo aponta que, em contraste com o baixo percentual de participação em cargo de CEOs, as mulheres representam o total de 39% da força de trabalho global e preenchem requisitos satisfatórios de habilidades em STEM já há décadas. Ainda assim, não é possível ver isso refletido em cargos mais relevantes do segmento de atuação.

Veja também!

Por fim, o relatório mostra que, ao redor do mundo, a grande maioria das mulheres na TI valorizam com fervor o aprendizado de novas habilidades e especializações para conseguirem promoções e crescerem profissionalmente.

O BCG, órgão responsável pela pesquisa, foi fundado em 1963 e atua em parceria com lideranças empresariais e sociais para ajudá-las a enfrentar seus desafios mais importantes e capturar as melhores oportunidades.

Via: BCG