A Nasa ainda trabalha em manobras de ressuscitação, mas parece que o icônico telescópio Hubble partiu dessa para uma melhor. O observatório espacial segue offline após nove dias depois da primeira falha, mesmo com as contínuas tentativas de colocar o computador de carga de volta online.

A agência espacial norte-americana ainda não sabe dizer o que causou a falha no computador do equipamento. Já foram três tentativas, fracassadas, de reanimá-lo ao utilizar uma versão de backup do módulo de memória, suspeito de ter causado o problema.

publicidade

Leia mais:

Agora, a Nasa se questiona se o Hubble está de fato morto para sempre. O observatório orbital está ocioso desde o dia 13 de junho, pois o computador responsável pelas coordenação dos instrumentos científicos (chamado “payload computer”, algo como “computador de carga útil”) apresentou uma falha, causando a parada.

O conserto mais recente no telescópio aconteceu no ano de 2009. Ele fica na órbita baixa da Terra e naquela ocasião uma tripulação entrou em órbita para instalar atualizações. As mudanças feitas na época incluíram um novo computador, baterias e instrumentos científicos.

Telescópio Espacial Hubble em órbita da Terra
O telescópio Hubble fica na órbita baixa da Terra. Imagem: Nasa

Dessa vez, porém, a Nasa não planeja enviar uma tripulação, principalmente por não ter uma nave com capacidade para realizar a missão. A agência também tem outras ideias para tentar reativar o computador do telescópio Hubble.

Caso seja definido que o observatório não vai mesmo ser reiniciado, a Nasa planeja um “funeral” para o telescópio. Naquela missão de 2009, os astronautas que realizaram os reparos instalaram um dispositivo para guiar o Hubble de volta para a atmosfera do planeta. A cremação será na verdade a incineração que acontece na reentrada.

Ainda há esperanças, porém. Em março deste ano, o equipamento chegou a falhar, entrando em modo de segurança. Na ocasião, o que aconteceu foi uma falha no software do Hubble. O problema foi contornado e a expectativa é que o atual também seja.

Via: Futurism

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!