Simulações feitas em computador mostraram qual seria o melhor lugar dentro da Via Láctea, para que uma antiga civilização extraterrestre pudesse ter prosperado. De acordo com os dados obtidos pelo professor da Universidade Penn State Jason Wright, este local seria no centro da galáxia, que é uma área relativamente inexplorada quando se trata da busca por inteligência fora da Terra.

Uma característica que diferencia essa simulação das demais já realizadas é a contabilização do movimento estelar da galáxia. Isso é importante porque a Via Láctea não é estática, como era presumido por modelos anteriores, mas está em constante movimento, o que poderia auxiliar a colonização galáctica por uma uma civilização avançada hipotética.

publicidade

A construção desse novo modelo teve como base pesquisas anteriores comandadas pelo professor do Departamento de Física da Universidade Rochester, no estado de Nova York,  Jonathan Carroll-Nellenback. Ele propôs que uma civilização hipotética poderia se espalhar em velocidades sub-luz através de uma galáxia em movimento.

O que foi simulado?

Na simulação, os pesquisadores consideraram que quando uma nave dessa civilização avançada hipotética chega a um mundo virtualmente habitável, ele é considerado uma colônia. A partir dessa colônia, seria possível lançar uma outra nave a cada 100.000 milhões de anos, caso outro mundo habitável esteja ao alcance deles.

Animação mostrando o povoamento da galáxia. 
Os pontos brancos são estrelas instáveis, as esferas vermelhas são estrelas assentadas e os cubos brancos representam naves em trânsito

Cada uma das naves simuladas teria o alcance de 10 anos-luz, com cada viagem durando no máximo 300.000 anos. A tecnologia de uma colônia foi definida como tendo uma duração de 100 milhões de anos antes de sucumbir. Contudo, isso mudaria caso a civilização conseguisse encontrar outro mundo habitável que estivesse ao alcance deles pelo movimento galáctico.

Por que não entram em contato conosco?

A simulação mostra, porém, que é possível que algumas partes da galáxia nunca sejam visitadas por essas civilizações, com o nosso sistema solar sendo uma delas. Isso ocorreria por uma questão de eficiência, já que a intenção dessas civilizações seria colonizar o maior número de mundos habitáveis no menor período de tempo possível.

Além disso, os pesquisadores defendem que algumas colônias acabam morrendo, seja por esgotamento de recursos naturais, como parece ser o futuro da Terra, ou um grande evento cataclísmico, como o choque com um asteroide. Caso isso ocorra, essa civilização hipotética optaria por voltar a uma colônia mais próxima habitada anteriormente.

Leia mais:

Uma outra possibilidade para a ausência de contato com os humanos seria a existência de um princípio de não interferência em planetas já habitados por civilizações inteligentes, como é o caso do nosso. Outras hipóteses são incompatibilidades biológicas ou a existência de diferentes civilizações avançadas, que competem por recursos ou mantêm um pacto de não agressão.

Com informações do Science Alert

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!